Archive for category Calendário de Deus

Preparar para a Páscoa and Pães Asmos, 2015

Com a Lua Nova vista e a cereja pronta para ser colhida, começou o Ano Novo no calendário de Deus.

Então a Páscoa tem que ser celebrada a 14 dias do início do ano. Os sete dias dos Pães Asmos começam no dia 15, “No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor. E aos quinze dias deste mês é a festa dos pães ázimos do Senhor; sete dias comereis pães ázimos”, Levítico 23:5-6.

Temos que começara preparar. Começar a fazer pães asmos que terão de ser comidos toda a festa, “sete dias comereis pães ázimos”, Levítico 23:6.

Teremos de tirar tudo que tem fermento de nossas propriedades, carro, casa, chácara, etc, “Por sete dias não se ache nenhum IMG_1995fermento nas vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, aquela alma será cortada da congregação de Israel, assim o estrangeiro como o natural da terra.Nenhuma coisa levedada comereis; em todas as vossas habitações comereis pães ázimos”, Êxodo 12:19-20.

Depois da Páscoa, no próximo dia, no pôr do sol, começa Os Pães Asmos. Nessa primeira noite é também conhecida como Noite Memorável. Foi nessa noite que os Israelita começaram a sair do Egito. Deus quer que observemos essa noite. É um noite onde devemos celebra-la com estudos bíblicos, reuniões bíblicas ou outras maneiras onde a finalidade é relembrar o que Deus fez com os Israelitas, “Esta noite se guardará ao Senhor, porque nela os tirou da terra do Egito; esta é a noite do Senhor, que devem guardar todos os filhos de Israel nas suas gerações”, Êxodo 12:42.

A Páscoa será neste domingo, no pôr do sol do sábado a noite até domingo a noite do dia 5 de 2015.

Noite Memorável será no primeiro dia, ou seja, começa na próxima noite (já que os dias começam no pôr do sol), na noite da segunda feira, do dia 6.

Os Pães Asmos começam na noite do dia 6, segunda feira, até a noite do dia 12, domingo.

Desejamos a todos uma boa Páscoa, Noite Memorável, e Pães Asmos.

Leave a comment

Começa o Ano Novo de Deus no calendário de 2015

O que muitos não acreditam é que Deus tem o próprio calendário Dele. Desde o tempo em que Deus criou o céu e a terra, Ele tem também criado o calendário que é baseado nos corpos celestes: Sol, Lua e estrela, “E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos”, Gênesis 1:14.

Novamente, “Designou a lua para as estações…”, Salmos 104:19.

Deus cria o Ano Novo e 14 dias depois a Páscoa

Deus indica claramente que haverá o início do ano, “Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano”, Êxodo 12:2.

Junto com o início do Ano Novo, depois de 14 dias, teremos a Páscoa, “No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor”, Levítico 23:5.

Sinais do Ano Novo: Amadurecimento da Cereja e a Lua Nova

Deus fala claramente que uma das indicações do Ano Novo será o amadurecimento da cereja. A cereja somente amadurece no começo da Primavera em Jerusalém. Em nenhuma outra ocasião do ano, a cereja amadurece. A razão bem clara disso é que a cereja tem que estar preparada para ser colhida na semana da Páscoa onde ela será oferecida a Deus. A cereja que foi colhida será dada a Deus no domingo da semana da Páscoa no que a Bíblia chama esse dia de: Oferta Movida ou Oferta de Movimento.

Esta oferta acontece na Festa dos Pães Ázimo – uma festa santa de sete dias. A oferta acontecerá no dia seguinte a do dia de Sábado…

“E aos quinze dias deste mês é a festa dos pães ázimos do Senhor; sete dias comereis pães ázimos… terra, que vos hei de dar, e fizerdes a sua colheita, então trareis um molho das primícias da vossa sega ao sacerdote; E ele moverá o molho perante o Senhor, para que sejais aceitos; no dia seguinte ao sábado [Domingo] o sacerdote o moverá”, Levítico 23:6-11.

Essa primícia da oferta é a colheita da cereja que só acontece nesta época do ano – Primavera.

Cereja está amadurecendo em Jerusalém

barleyTemos recebido relatórios que a cereja em Jerusalém está pronto para ser colhida na semana da Páscoa ou Festa de Pães Asmos (um dos mandamentos de Deus). Esta cereja será apresentada a Deus no Domingo da Festa dos Pães Asmos – daí a necessidade da cereja estar pronto para ser colhida.

Lua Nova foi vista em Jerusalém

Temos recebido relatórios que a Lua Nova foi vista em Jerusalém na noite passada começando assim o Ano Novo de Deus. A Lua Nova tem que ser vista por mais de duas testemunhas. E elas tem que ser vista a olho nu.

A Lua Nova é a única indicação do começo de um mês. A Lua Nova de ontem (tem 12 a 13 luas novas em um ano)  mostra a indicação do começo do Ano.

Começa hoje a noite o início do Ano no Calendário de Deus. No calendário gregoriano mostra que estamos no ano 2015 o que não é o ano espiritual de Deus. Que ano que é no calendário de Deus, não importa. O importante é celebrar o início do ano como Deus tem nos comandado.New Moon

Bem Vindo ao Ano Novo do Senhor

Toquemos a trombeta na lua nova que neste mês indica o começo do Ano de Deus…

“Tocai a trombeta na lua nova, no tempo apontado da nossa solenidade”, Salmos 81:3.

Leave a comment

As tradições do ano novo, são pagãs?

Estamos chegando no início do ano de 2015. O calendário que usamos é o calendário gregoriano. A celebração em cada países podem ser diferentes mas todos irão ter festas e muitas reuniões com bastante alegria. O passar do ano acontecerá em pontos muitos famosos e em lugares muito famosos como a bola da Times Square.  Mas, de onde se originou se data?

Ano novoVocê ficará surpreso que o ano novo era celebrado em datas diferentes. O mundo tem passado por calendários diferentes. O calendário gregoriano que agora usamos foi o que substituiu o calendário anterior que era o calendário juliano. Há ainda um outro calendário que o mundo está tentando implantar que irá substituir no calendário que agora usamos. Mas, qual é a história do ano novo?

Vermos que desde o tempo do história o homem tem sido fascinado pelo o início do ano. O ano novo pode-se chegar historicamente até a 4 mil anos.

deus Janus

O deus Janus, ou Jano, tinha duas faces. Um face olhava para o passado enquanto a outra face olhava para o passado. Ele também foi associado ao mês de Janeiro. Observe o que está escrito sobre este deus. Isso não é mistério algum – está escrito por toda a internet…

“Jano (em latim Janus) foi um deus romano que deu origem ao nome do mês de Janeiro.jano

Jano tinha duas faces, uma olhando para a frente e outra para trás, e dele derivam os nomes da Montanha Jano e o Rio Jano, pois ele viveu na montanha. Ele foi o inventor das guirlandas, dos botes, e dos navios, e foi o primeiro a cunhar moedas de bronze; por isso, em várias cidades da Grécia, Itália e Sicília, suas moedas trazem, de um lado, um rosto com duas faces, e do outro, um barco, uma guirlanda ou um navio.

Ele se casou com sua irmã Carmese, e teve um filho chamado Aethex e uma filha chamada Olistene. Desejando aumentar o seu poder, ele navegou até a Itália e se instalou em uma montanha próxima de Roma, chamada Janiculum por causa dele.

Era o porteiro celestial, sendo representado com duas cabeças, representando os términos e os começos, o passado e o futuro. De fato, era o responsável por abrir as portas para o ano que se iniciava; como toda e qualquer porta, se volta para dois lados diferentes. Por isso é conhecido como “Deus das Portas”.

Também era o deus das indecisões, pois na mitologia uma cabeça falava de uma coisa e a outra cabeça falava de outra coisa completamente diferente.

Como vemos ver O festival do Ano Novo está ligado ao deus pagão Janus, de onde veio o mês de Janeiro – Januárius.

Janusé o deus romano que protege os átrios e os lares. É representado por uma cabeça com dois rostos: um olhando para o passado e outro para o futuro, dando a entender (segundo a crença) que tem total conhecimento tanto do passado como do futuro. Em 1º de Janeiro, em sua honra, os romanos trocavam presentes entre si, o que permanece até os dias de hoje, tanto no meio secular como no meio evangélico.

Na virada do ano, por exemplo, a tradição diz que as pessoas que se encontrarem na praia à meia-noite devem saltar sete ondas. Um hábito que tem suas raízes nas tradições africanas, importadas para o Brasil pelos escravos séculos atrás.

a deusa Iemanjá

Muito famosa é esse deusa em muitos países principalmente no Brasil. Na virada o ano, as pessoas se encontram na praia à meia noite. Muitos colocam flores no mar; outros saltam sete vezes que é uma superstição de abrir os caminhos. Outros não virão de costa ao mar onde Iemanjá está porque eles querem ganhar fortuna no ano que está chegando.

O ritual homenageia Iemanjá, a divindade (orisha) que protege os mares e as crianças. Sete é de fato o número da cabala, que representa Exu, filho de Iemanjá, e os sete saltos são usados para abrir os caminhos. Segundo a tradição, para ganhar uma fortuna no ano que está chegando, não se deve virar as costas depois de uma homenagem à deusa do mar.

iemanNo mundo todo é costume generalizado usar um vestido novo no Réveillon. No Brasil, a tradição quer que se vista de branco, símbolo de paz e harmonia. Alguns preferem usar a cor simbólica do que se deseja para o próximo ano: vermelho para a força e paixão, amarelo para dinheiro e prosperidade, laranja para o sucesso, azul para harmonia e paz, verde para saúde, esperança e equilíbrio.

Para aqueles que procuram um ano-novo com muito dinheiro no bolso, no Brasil aconselham de chupar sete sementes de romã durante a contagem regressiva antes da meia-noite, e depois embrulhar em uma folha de papel para colocar na própria carteira junto com o dinheiro. O resultado é garantido, dizem eles.

Outra prática muito seguida é comer três uvas à meia-noite, expressando um desejo para cada, ou sentar-se em um banco durante a contagem regressiva e descer logo depois com o pé direito.

Aqueles que querem viajar bastante no ano seguinte, devem colocar um vestido branco na mala favorita e, na manhã seguinte, vesti-lo e visitar alguma atração turística na região onde se está localizado.

O que Deus pensa disso tudo?

Há muito o que falar das tradições de natal e ano novo. Se o leitor querer saber mais, simplesmente dá uma procura sobra o assunto. Verá que há bastante materiais nestas áreas. Tudo é história.

Mas, o que o nosso Deus pensa sobre tudo isso? Todos esses deus tradicionais criado pelo homem?

O nosso Deus é bastante claro nesse assunto. O homem sempre teve essa afinidade por deuses. Como humanos gostamos de criar imagens superpoderosas que irão nos salvar nos nossos momentos difíceis. Isso é verdade hoje em dia como foi verdade no tempo de Moisés. Deus teve de lidar com esses deuses pagãos daquela época. O mundo inteiro estava voltado a esses deuses que nem houvem e nem veem nada, “E ali servireis a deuses que são obra de mãos de homens, madeira e pedra, que não vêem, nem ouvem, nem comem, nem cheiram”, Deuteronômio 4:28.

“E te levantaste contra o Senhor do céu… além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste”, Daniel 5:23.

Não há um outro Deus

Há várias escrituras que Deus e Seus profetas diz que não existe nenhum outro Deus a não ser Ele mesmo. Que todos os deuses criado pelos homens, eles simplesmente não existem. Isso é idolatria. Como podemos adorar coisas que não exitem. Como podermos criar datas e celebra-las como deus que não existem? A existência de um SÓ Deus e Sua autoridade é indiscutível e Ele mesmo fala…

“A ti te foi mostrado para que soubesses que o Senhor é Deus; nenhum outro há senão ele…  Por isso hoje saberás, e refletirás no teu coração, que só o Senhor é Deus, em cima no céu e em baixo na terra; nenhum outro há“, Deuteronômio 4:35-39.

“Lembrai-vos disto, e considerai; trazei-o à memória… Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade; que eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim“, Isaías 46:8-9.

E Deus complemente Sua única existência de que não há outro Deus a não ser Ele mesmo, “Não vos assombreis, nem temais; porventura desde então não vo-lo fiz ouvir, e não vo-lo anunciei? Porque vós sois as minhas testemunhas. Porventura há outro Deus fora de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça“, Isaías 44:8.

Uma outra, “Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o Senhor e não há outro. Não falei em segredo, nem em lugar algum escuro da terra; não disse à descendência de Jacó: Buscai-me em vão; eu sou o Senhor, que falo a justiça, e anuncio coisas retas.  Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar. Anunciai, e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos; quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde então o anunciou? Porventura não sou eu, o Senhor? Pois não há outro Deus senão eu; Deus justo e Salvador não há além de mim“, Isaías 45:18-21.

Não cause o nosso Deus raiva porque Ele é um Deus ciumento

As escrituras nos indica que o nosso Deus não vai perdoa-lo pela sua idolatria. Por você adorar outros deuses. Observe as Suas palavras, “Mas os seus altares derrubareis, e as suas estátuas quebrareis, e os seus bosques cortareis. Porque não te inclinarás diante de outro deus; pois o nome do Senhor é Zeloso; é um Deus zeloso”, Êxodo 34:13-14.

Por que então celebrar outros deuses seguindo e celebrando esses dias pagãos de natal e ano novo?

 

Leave a comment

Começou o ano de Deus

Muitos de nós não preocupamos muito se existe um calendário de Deus ou não. Seguimos esse calendário de tradição pagã onde todos os nomes são representados por Deus pagãos (por favor, estude mais sobre o calendário neste site).

Mas Deus sim tem um calendário. Ele mesmo disse a Moisés, “Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano”, Êxodo 12:2.

Então vemos que Deus disse a Moisés que existe o primeiro mês do ano “princípio dos meses” – isto é claro. Mas, qual é esse mês? Que mês é esse? É Janeiro que veio do Deus pagão Janus? Claro que não. Deus explica qual é esse mês.

Abibe é o primeiro mês do ano no calendário de Deus

barley

Vejamos que quando Deus fez referência ao primeiro mês, Ele também comandou que a Páscoa tem que ser celebrada neste mês, “Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família”, Êxodo 12:2-3.

Observe então a referência entre a Páscoa e o primeiro mês, “Guarda o mês de Abibe, e celebra a páscoa ao SENHOR teu Deus; porque no mês de Abibe o SENHOR teu Deus te tirou do Egito, de noite”, Deuteronômio 16:1.

Observe a ligação entre a Páscoa e o primeiro mês do ano no calendário de Deus. Deus comanda que a Páscoa seja celebrada no primeiro de mês do ano. Mas, quando é esse mês. Note nas escrituras que Deus claramente diz que a Páscoa tem que ser celebrada no mês de Abibe.

A descrição de Abibe é o estado da cevada. O próprio nome indica isso. Leia no Wiki ou em outros lugares.

New MoonLua Nova + Abibe = Ano Novo

Por favor leia mas sobre o Ano Novo e Lua Nova neste site.

 

Leave a comment

O Ano Novo é Bíblico?

Um locutor de TV disse antes que o Ano Novo está sendo celebrado por 4 mil anos. Passamos ontem para o ano 2014 do calendário Gregoriano – é esse calendário que o mundo usa. A história do calendário em si já é fascinante e pode ser encontrada nesse blog mas não é o que falaremos neste artigo.

De onde começou essa tradição de seguir o Ano Novo? Começou com um mandamento de Deus? ou tradição do homem? Muitas pessoas não querem saber a origem da celebração do Ano Novo porque é um dia de alegria onde poderão se encontrar com familiares e amigos junto com outras atividades alegres. Mas, antes de falar se Deus importaria se você celebra-se ou não o Ano Novo, estudemos então a origem do Ano Novo.

A tradição do Ano Novo

O Ano Novo é celebrado por todo o mundo. É um dia alegre onde fogos de artifícios são feitos por muitas pessoas e países. Mas de onde vem essa tradição? Quem foi o primeiro a celebrá-la? NewYearFirework

Está escrito por toda a internet de como surgiu o Ano Novo. Observe o que a Wiki fala do Ano Novo, “A comemoração ocidental tem origem num decreto do imperador romano Júlio César, que fixou o 1 de janeiro como o Dia do Ano-Novo em 46 a.C. Os romanos dedicavam esse dia a Jano, o deus dos portões. O mês de Janeiro deriva do nome de Jano, que tinha duas faces (bifronte) – uma voltada para frente (visualizando o futuro) e a outra para trás (visualizando o passado). O povo romano era politeísta, ou seja, adorava vários deuses diferentes, e não existe nenhum relato de que o povo judeu que viveu nessa mesma época tenha comemorado o ano novo, tampouco os primeiros cristãos.”  

Está bem claro de onde o Ano Novo que celebramos se originou. A celebração do Ano Novo se originou dos romanos onde eles adoravam um deus pagão chamado Jano que em si tinhas duas caras – como vemos na descrição acima. Observe que a Wiki mesmo descreve que os judeus que moravam nessa época não observavam o Ano Novo. A preocupação dos Judeus é de observar os mandamentos de Deus. Mas, porque os Judeus não celebraram e não celebram o Ano Novo. A razão é muito simples, o Ano Novo tem origem pagã.

Deus incomoda na celebração do Ano Novo?

A pergunta de muitos é muito simples, eles importariam se Deus não gostasse da celebração do Ano Novo? Como sabemos, é uma abominação para Deus essas adorações de deus pagãos. Deus mesmo falou, “Não terás outros deuses diante de mim; Deuteronômio 5:7”, como também , “Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria”,  Deuteronômio 7:4.

Vemos que a tradição do Ano Novo começou com os romanos adorando o deus deles chamado Jano. E agora? Milhares de anos mais tarde, o mundo inteiro se reúne para adorar a esse deus com todos os tipos de celebrações. É claro as celebrações de hoje em dia, milhares de anos mais tarde, é diferente. Os romanos não tinha fogos de artifícios, nós temos. Adorando a outros deus, estamos pecando contra o verdadeiro e único Deus, “Para que não vos ensinem a fazer conforme a todas as suas abominações, que fizeram a seus deuses, e pequeis contra o Senhor vosso Deus”,  Deuteronômio 20:18.

Não vos engane!

Deus sabe exatamente de onde veio o Ano Novo que nunca foi celebrado por Jesus Cristo, Seus apóstolos e qualquer outra pessoa que é um cristão verdadeiro. Tal observação é contrária a Deus. Aliás, e na realidade, esse tipo de adoração deixa o nosso Deus irado como lemos em Deuteronômio.

Cuidado com as tradições pagãs!

Jesus falou bem das tradições pagãs que o povo daquela época queria que Ele seguisse…

“Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição?… Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim.
Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”, Mateus 15:3-9.

Leave a comment

História do Calendário

                Registros do primeiro século da Judeia de Talmud, o calendário usado durante o Segundo Templo foi baseado em observação atual dos primeiros raios de sol na Lua, lua nova em Jerusalém. O primeiro século Judaico, o calendário também colocou o Dia 15 do mês 1 entre ou depois do Dia Hebraico no equinócio da primavera. O Babilônicos, Pérsicos, Assirios, e Gregos também começaram seus meses na lua nova, entretanto eles não sempre acertava do mesmo jeito que os Judeus. Por exemplo, é possível determinar das duas datas da carta de Elephanine, com data Pérsicas e Egipcianas, que os Pérsicos não mostrava a mesma data do que os Judeus entre 458 – 351 AC. Porque nesses anos, os Pérsicos colocaram o Dia 1 do Mês 1 depois do dia de equinócio da primavera.

Depois da dispersão em 134 DC, quando os Judeus foram exilados da Judeia, eles foram forçados a basear-se em cálculo da lua nova ou no observação local onde eles moravam. Os rabis judaicos largaram de adorar o verdadeiro Deus Elohim; o calendário rabino foi implementado em 359 DC por Hillel II baseado no ciclo de 19-anos do astrônomo Grego Meton de Atenas.

O calendário rabino, ainda em uso hoje em dia, tem determinado o início dos meses mas não alinhado com Rosh Chodesh – a visão dos primeiros raios de sol na lua, chamada lua nova. O calendário rabino não existiu antes de 359 DC. O Calendário da Criação ou Bíblico foi dado a Moisés para ser usado, e foi usado pelo Messias e pelos sacerdotes do templo no tempo de Cristo.

Alguns estudiosos tem erradamente colocado o calendário Rabino como sendo o calendário original da criação, tentando mostrar que já existia no tempo de Cristo. Tal error os levaram a não entender a cronologia da morte e ressurreição do Messias, como também fazer interpretações erradas das escrituras proféticas.

O calendário Romano Juliano foi fixado no sol nas estações e não tem nenhuma relação com a lua. Ele ficou em existência até 4 de Outubro de 1582 DC quando foi mudado por Roma pelo calendário que usamos hoje-em-dia e que foi pelo papa Gregório XIII. O Calendário Gregoriano é uma reforma do Calendário Juliano e é o calendário mais usado hoje em dia no mundo. Entretanto, o Calendário Gregoriano é de origem pagã. Isto é evidente pelos nomes dados aos meses, aos dias e as semanas e seus festivais. É um calendário baseado no sol e não nos movimentos da lua. Sendo assim, o Calendário Gregoriano  não tem nenhuma relevância Escritural de tempo e datas.

Em resumo, nem o Calendário Rabino e nem qualquer outro calendário apoia a observação dos dias marcados pelo nosso Criador. Somente o Calendário da Criação que foi usado pelo Messias é o calendário verdadeira de nosso Criador.

“As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei”, Deuteronômio 29:29.

Referência: http://www.torahcalendar.com/ABOUT.asp

Leave a comment

A Restauração do Calendário da Criação – Bíblico

O Calendário da Criação em TorahCalendar.com é um projeto fiel de restauração do calendário original usado desde a criação. Muitas pesquisas em combinação com muitas Escrituras, registros antigos e estudos da lua e dos planetas tem ajudado na restauração do Calendário da Criação, ou Bíblico. Um dos nossos esforços tem sido motivado em restaurar as horas, dias, meses e anos Espirituais baseado na posição da terra, lua, e sol em seus tempos antigos.

Uma Testemunha Eletrônica

Estudos científicos nesta área de mecanismo celestiais tem aumentado bastante desde nos meios de 1980. Por décadas, tecnologia avançadas tem mostrados aos cientistas de como entender as movimentos complexos lunares e planetários. Como resultado, teorias analíticas poderosas para predicar as posição da lua e dos planetas tem acontecidos. Isso juntamente com os poderosos computadores no últimos anos, tem nos dado finalmente a possibilidade de precisamente determinar a posição do sol, lua e terra a qualquer ponto da história do tempo.

New MoonOs cálculos da lua e do sol são usados para restaurar o calendário Bíblico ou da Criação no site: TorahCalendar.com. Este programa foi feito em C por Stephen L. Moshier. Este programa que é usado também pelo Jet Propulsion Laboratories e  calcula entre os intervalos de 3000 AC à 3000 DC.

Este programa calcula a posição exata da lua dentro de aproximadamente 30 minutos de error em 4000 AC.

Este program coloca o dia 15 do mês 1 perto ou depois do dia hebraico do equinócio da primavera. A lua nova é determinada por critério de visão – assim que os primeiros raios do sol que são visível ao olho nu. Este critério foi usado em Israel quando Jerusalém era a capital. Este calendário da Criação foi usado durante o Segundo Templo durante o tempo do Messias, Jesus Cristo.

O Calendário da Criação, primeiro usado por Adão e Eva no começo da criação, foi grandemente abandonado pelos Judeus quando eles foram dispersados depois da fracassada revolta de Bar Kokhba nos anos 18 do Imperador romano Adriano em 134 DC. O calendário foi eventualmente trocado pelo calendário moderno dos rabinos em 359 DC por Hillel II durante o reino do Imperador Romano Juliano, o Apóstata. Hillel II foi o presidente dos Sanhedrin entre 320 – 385 DC.

O Calendário da Criação não é o calendário rabino. O Calendário da Criação foi feito de cálculos complexos do movimento precisos da lua. O Calendário da Criação implementa regulamentos seguidos por Israel no tempo que foi estabelecido como nação na época de Moisés em 1437 AC, até o tempo onde Hillel II mudou o calendário e as leis durante o reino de Juliano, o Apóstata, em 359 DC.

A finalidade deste artigo é simplesmente para dar ao leitor uma base de que estamos muito perto da volta de nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje em dia podemos calcular precisamente os anos desde a criação devidos a computadores muitos possantes e ângulos da lua, do sol e astros. Neste site em Inglês verão o dia que estamos. Como estamos dizendo, tenha isso como base de que os seis mil anos que Deus deu para o ser humano desde o tempo de Adão e Eva está chegando. Devemos então ficar de olho em todos os acontecimentos que Cristo tem nos falado que dará indicação de Sua volta.

É interessante notar também que a criação deste calendário foi baseado no anos de Jubileu – uma data importantíssima para Deus. Por favor estude mais sobre isso em nosso blog sobre o assunto de Jubileu.

Referência: Este texto é baseado no site TorahCalendar.com.

Leave a comment