A Verdade Sobre o Natal

A celebração do Natal tem suas raízes nos tempos de antigamente; mais de mil anos antes do nascimento de Jesus Cristo! Este artigo mostra alguns fatos históricos do natal e seus costumes.

“Natal não era um festival da Igreja no início… a primeira evidência desta festa teve origem no Egito”… “Costumes pagãos tendo como centro o mês de Janeiro acabou se tornando Natal”… “Nas escrituras, ninguém acha nada registrado a respeito do Natal e como este deve ser observado ou ter um grande banquete celebrando o nascimento de Jesus. Somente os pecadores que fazem grande alegria no dia de aniversário” [Catholic Encyclopedia, 1911 Edition, publicado pela Igreja Católica Romana].

O Natal realmente comemora o nascimento do Filho de Deus? Ou comemora o nascimento do Sol? A Nova Enciclopédia Católica explica: “O nascimento de Cristo foi colocado na data da adoração do sol do inverno (Dezembro 25 no calendário Justino e 6 de Janeiro no Egito) porque neste dia, assim como o sol começa o seu retorno nos céus da parte do norte, os pagãos observaram a celebração “natalis Solis Invicti” (aniversário do sol invencível).

“A maior religião pagã que apoiava a celebração do dia 25 de Dezembro como um dia especial através dos mundos Romanos e Gregos foi a adoração pagã do sol – ‘Mithraism’ … Este festival de inverno foi chamado de ‘a Natividade’—a ‘Natividade do SOL’,” (Frazer, GoldenBough, pág. 471).

“Nós não sabemos como começou… nem realmente sabemos quando a criança Cristo nasceu; ou o tempo e lugar onde o Natal foi primeiro celebrado; ou exatamente como foi que durante os séculos um bispo da Ásia Menor e um deus pagão dos alemães se uniram e se tornaram Papai Noel. Apesar de que a historia do Natal focaliza Cristo em Belém, tudo começou muito antes de seu nascimento… Natal começou aqui [Mesopotâmia], quase quatro mil anos atrás como um festival que renovava o mundo para outro ano. Os ‘doze dias’ de Natal, o fogo brilhante e provavelmente as decorações de natal; a troca de presentes; os músicos que tocavam de casa em casa; festividades; as luzes e musicas e mais tudo isso começou no terceiro século antes que Cristo nasceu. Esses celebravam o começo do ano novo” (Earl W. Count, 4000 Years of Christmas, pág. 11,18).

“’Saturnalia’ e os ‘Kalends’ foram às celebrações pagãs mais parecidas com os cristãos originais, Dezembro 17-24 e Janeiro 1-3, mas a tradição de celebrar no dia 25 de Dezembro como o aniversário de Cristo veio aos Romanos da Pérsia. ‘Mithra’, o deus da luz dos Persas nasceu de uma rocha em Dezembro 25. Os Romanos foram famosos com suas adorações de deuses e cultos estranhos, e no terceiro século [274] o imperador Aureliano que não era cristão estabeleceu o festival de ‘Dies Invicti Solis, O Dia do Sol Invencível,  no dia 25 de Dezembro” [Gerard and Patricia Del Re, The Christmas Almanac, 1979, pág. 17].

“Porque aquele dia [25 de Dezembro] era sagrado, não somente para os Romanos pagãos mas para toda a religião da Pérsia nos quais eram os rivais mais fortes contra o Cristianismo. Esta religião Pérsica era ‘Mithraism’ nos quais seus seguidores adoravam o sol, e celebravam seu retorno  para fortalecer nesse dia. A igreja finalmente cedeu e pegou  as luzes e decorações e presentes de Saturno e deu ao recém nascido de Belém (celebração foi tirada desse Deus pagão Saturno e colocada no Natal para ser celebrada” (Earl E. Count, 4000 Years of Christmas, pág. 27).

“O natal é uma festa muito antiga. Seu significado é realmente a celebração do sol do inverno, e o início da volta do sol do norte para o sul… Os Romanos de antigamente observavam este tempo com festividades e dedicação a Saturno, o deus da agricultura, e isto era chamado Saturnalia… Quando o imperador Constantino decretou o Cristianismo como a nova fé do Império Romano, bem cedo no século quarto, os Cristãos deram a esse feriado um nome completamente diferente e um significado totalmente diferente” [Joseph Gaer, Holidays Around the World. Boston: Little Brown, 1953, pág. 133].

“Durante Saturnalia, todos festejavam e alegravam-se, trabalhos e negócios eram fechados, as casas eram decoradas de verde e outros artesanatos, visitas e presentes eram trocados entre amigos e clientes davam presentes aos seus chefes. A estação toda era a respeito de alegria e boa vontade, e todos os tipos de diversão eram feitos pelas pessoas” [J.M. Wheller, Paganism in Christian Festivals].

[Um escritor em 1633 disse,] “Se nos compararmos os ‘Bacchanalian’ cristão e o Ano Novo com esses festivais de Saturnalia e Festas de Janeiro, podemos ver que seu significado é bem parecido – sendo eles no final de Dezembro e em primeiro de Janeiro – e a maneira em que eles celebravam esses festivais dançando, bebendo, comendo, e muitas práticas que hoje são usados pelos Cristãos na temporada do Natal, todos eles foram derivados destes dois festivais: a Saturnalia dos Romanos e os festivais de ‘Bacchanalian’ [Ashton, A Right Merrie Christmas, pág. 6].

PERGUNTA: Pode você pegar esse festival pagão – detestável pelo Deus da Bíblia – e mudar a imagem dele e ao mesmo tempo adorar o nosso Deus com isso? Será esse festival aceito por Deus? “… o bezerro de ouro que construíram e as celebrações declararam a ‘festa do Senhor’… O povo tinha declarado essa celebração ao Senhor para honrar o Senhor Deus mas Ele não reconheceu essa celebridade como sendo para Sua honra” (Richard Rives, Too Long in the Sun, PartakersPub,. 1996, pág. 129-130). Pode você realmente fazer um símbolo pagão ser limpo e aceito pelo Senhor?

Natal, pelo nome mesmo, significado e origem, e claramente não conectado ao ‘nascimento de Jesus Cristo’ mas a deuses pagãos. Essa é a verdade!

Sobre ídolos, a Bíblia nos descreve: Jeremias 10:2-4, “Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis dos sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações. Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova”.

ORIGEM PAGÃ

É a raiz do Natal de hoje um costume Cristão e “santo e aceitável” a Deus ou é “corrupto e abominável” para Ele? Romanos 11:16, “E, se as primícias são santas, também a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos o são”.

“Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto”, Lucas 6:43.

Você já deve ter lido sobre a conexão entre Natal e Saturnalia. Mas, examinemos mais de onde veio o natal.

AS ÁRVORES DE NATAL

“Algumas autoridades falam que as árvores de natal tem origem na adoração pagã da vegetação”. [Frank and Jamie Muir, A Treasury of Christmas. Glasgow: William Collins, 1981. Pág 64]

“A árvore de natal, hoje em dia tão comum entre a gente, era igualmente comum na Roma pagã e no Egito pagão. No Egito essa árvore era uma árvore de palmas. Em Roma, ela era de abeto. Esta árvore de palma era relacionada ao messias pagã como Baal-Tamar (Juízes 20:33) [Baal-Tamar = Senhor da árvore]; a árvore de abeto que também se referia a Baal-Tamar, significava “senhor da aliança”. O Egito e os Romanos adoravam o mesmo deus pagã chamado Baal-Tamar usando árvores diferentes. A mãe de Adonis, o deus sol, se transformou numa árvore quando estava próxima de ter seu filho divino. Se a mãe era uma árvore, o filho pode ser também sido reconhecido como “o homem dos galhos”. [ Alexander Hislop, The Two Babylons, pág. 97.]

“Até as árvores de natal, que veio a existir somente no século dezenove na Alemanha, é talvez um retrocesso a uma grande árvore da mitologia ‘Norse’ que foi chamada Yggdrasil”. [The mystical Year. Alexandria, VA: Time-Life Books, sem data, pág. 121].

“A árvore de Natal é um símbolo do espírito de época natalina em muitas casas. Este costume veio da Alemanha e data há muito tempo atrás quando as pessoas adoravam as árvores, especialmente as que são sempre verdes”.  [The New Book of Knowledge. New York: Grolier, 1979. Pág. 291].

Hoje em dia, alguns dizem que as árvores de natal é para eles um símbolo de vida eterna. Mesmo assim essas árvores estão mortas, cortada de suas raízes. A árvore que é cortada pela sua raiz é um símbolo de morte e não vida; como Cristo explicou em João 15:1-8, “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”.

TROCA DE PRESENTES

“A ideia de trocar presentes começou dos Romanos”. [Frank and Jamie Muir, A Treasure of Christmas. Glasgow: William Collins, 1981, pág. 84]. “O costume de presentear amigos com presentes no Natal é provado que começou muito antes do Natal no império Romano”. [Everymans Encyclopedia. Toronto: Ryerson Press, 1967. Pág 1, 672.

Os homens magos deram seus presentes a Cristo, mas não trancaram presentes entre eles mesmos. Os presentes dado a Cristo foram à mesma coisa que dar a um rei e não presente de aniversário; “E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra”.

“A troca de presentes na época de aniversário era costume natural através das eras de Saturnalia e ‘Kalends’ quando davam flores, velas e bonecas de presente simbolizando boa sorte e prosperidade no futuro. Apesar de que a igreja de antigamente procurou ignorar essa tradição ritual pagã, eles acabaram vendo que estavam perdendo nessa prática e decidiram instituí-la na pratica cristã e engenhosamente atribuíram isso aos presentes dados pelos magos a Jesus quando Ele nasceu”. [Gyles Brandreth, The Christmas Book. London: Robert Hale, 1984, pág 100].

“Por que dar presentes era tão essencial nas celebrações pagãs [de Saturnalia], a Igreja inicial  adaptou o mesmo ritual como fez com outras celebrações pagãs questionáveis de Ano Novo”. [Christina Hole, Christmas and its Customs. London: Richard Bell, 1942, pág 25]

“A prática de troca de presentes no Natal veio da era Romana que era chamada ‘Strenae’. Durante a Saturnalia, os cidadãos romanos davam presentes de ‘boa sorte’ (strenae) de frutas, bolos, ou ouro para os amigos no Ano Novo”.  [Colliers’ Encyclopedia. New York: P. F. Collier, 1991, pág 404]

Tudo é pagão. Nem um mínimo sequer foi originado do Cristianismo. Então, você quer trocar a mentira pela verdade?

NATAL: PARA AS CRIANÇAS?

Então, muitos argumentam que manter o Natal é bom para dar presentes para as criancinhas. Mas, por que fazer isso – honrando o nascimento de nosso Salvador debaixo dessa mentira? A Bíblia fala que deve dar alegria a suas crianças ou ensinar as crianças os caminhos da verdade de Deus?

“Não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade”. 3 João 1:4

E quanto ao Papai Noel? Quantos cristãos ensinam isso às crianças? Papai Noel não é nem verdadeiro e nem Cristão. Isso é outra mentira.

“Ele é o padroeiro de salvar as vidas dos marinheiros da costa de ‘lycia’ como também dos prisioneiros e das crianças… nas quais levaram a prática das crianças dando presentes no Natal em seu nome e a mudança de seu nome de Santo Nicholas a ‘Sint Klaes’, ou seja, Papai Noel, pelos Holandeses. Devemos observar que a figura de Papai Noel não é cristã mas é baseado no deu Alemão chamado Thor – que era associado ao inverno e que viajava numa carruagem puxada por bodes chamada ‘Craker’ e ‘Gnasher’”. [ The Catholic Pocket Dictionary of Saints]

Será que é normal quebrar as leis de Deus para dar alegria as crianças? Se você é um cristão… você sabe a resposta disso. Adicionalmente, você NÃO precisa observar dias pagãos como um desculpa para comprar presentes a alguém. Você pode com toda a certeza dar presentes às crianças a qualquer outra hora no ano – bons presentes – não tendo nenhuma ligação com dias pagãos.

NATAL É PARA CRISTÃO?

“Não admitirás falso boato, e não porás a tua mão com o ímpio, para seres testemunha falsa. Não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda falarás, tomando parte com a maioria para torcer o direito”, Êxodo 23:1-2.

Muitas pessoas de religiões diferentes, ou até mesmo de nenhuma religião, celebra o Natal. Seria uma mentira dizer que os cristãos são os únicos que celebram o Natal. Muitos celebram o Natal, de uma forma ou outra nesse mundo mas mantendo as mesmas tradições. Como temos visto, o Natal foi observado muito antes do nascimento de Cristo. Por que então é necessário pegar o nome sagrado Dele e associa-lo as festividades pagãs?

“Será que os leitores Cristãos realmente imaginam que por um momento ele ou ela ficará perante o Senhor, que eles se arrependerão de terem vividos um a vida fortemente baseada nessa terra? Será que haverá uma pequena chance que Ele irá nos chamar a atenção pelas essas coisas carnais que fazem guerra contra nossa alma (1 Pedro 2:11)? Devemos concentrar nas coisas que Ele pensa e não tanto nas coisas que os mortais pensam e que estão rapidamente perecendo”. [Arthur Pink]

Todas as coisas feitas e observadas no Natal não são cristãs. Elas NÃO têm nenhuma ligação com Jesus. Será que quer ser um amigo desse mundo? Tiago 4:4, “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”.

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”, Romanos 12:1-2.

É muito simples conformar com a opinião popular; mas há muito mais dedicação e graça procurar de Deus, para sermos TRANSFORMADOS em nossa mente. Um cristão é chamado para negar a si mesmo, para pegar a cruz, e seguir com o que foi perseguido por esse mundo, Jesus Cristo. Será que VOCÊ é fiel o suficiente para rejeitar as tradições pagãs dos homens? Pode você amar a verdade? E colocar de fora a mentira? Deus amou tanto você que deu o Seu Filho para morrer por suas transgressões de Sua santa lei. É muito para Deus lhe pedir para que largasse esses dias pagãos como o Natal? Pode você ser fiel em pequenas coisas?

“Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?”, Mateus 25:26.

No dia de julgamento, deixa a gente dizer como disse Davi em Salmos 119:101, “Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra”.

  1. Leave a comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: