“Três vezes no ano me celebrareis festa”. Êxodo 23:14

Deve a Festa dos Pães Asmos ser Celebrada por Sete Dias?

Como podemos observar a Festa dos Pães Asmos? É a Festa dos Pães Asmos celebrada por sete dias? Ou somente dois dias?

O que a tradição da igreja moderna nos ensina?

As escrituras realmente nos ensina que podemos trabalhar nos dias que não são de sábado durante a Festa dos Pães Asmos?

Nós devemos nos examinar a cada ano antes de observarmos a Páscoa e os Dias de Pães Asmos.

Cada um de nós devemos preparar para chegar perante Deus maneira que Ele nos aceita. No passado, sempre focalizamos mais na preparação da Páscoa.

E estamos certos porque assim deve ser, mas caímos no erro de levar os símbolos de Jesus Cristo do corpo e sangue de maneira vulgar.

Hoje, vamos olhar nas escrituras para provar que devemos manter a Festa dos Pães Asmos todos os seus 7 dias.

Apoc 18:1-5; 23-24, “E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniqüidades dela… E luz de candeia não mais luzirá em ti, e voz de esposo e de esposa não mais em ti se ouvirá; porque os teus mercadores eram os grandes da terra; porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias. E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra”.

Você tem que sair desse mundo e se separar dele!

Babilônia está ao nosso redor. Deus não irá nos aceitar se não O obedecemos do jeito que Ele quer. Qualquer coisa que não alcança a obediência do caminho de Deus é idolatria.

A última coisa que não queremos que aconteça e que quando chegamos perante a presença de Deus e serr rejeitado por Ele.

Mas o que Deus precisa para aceitá-lo? VOCÊ PESSOALMENTE!

Pode você determinar como devemos adorar a Deus e mandá-Lo aceitar isso? NÃO! Será que podemos seguir a Deus do jeito que queremos? NÃO!

Jesus Cristo disse a satanás, o demônio em Mat 4:4, “Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Isaías também disse em Isa 66:1-2, “Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificaríeis vós? E qual seria o lugar do meu descanso? Porque a minha mão fez todas estas coisas, e assim todas elas foram feitas, diz o SENHOR; mas para esse olharei, para o pobre e abatido de espírito, e que treme da minha palavra”.

Em Deut 16:16-17, “Três vezes no ano todo o homem entre ti aparecerá perante o SENHOR teu Deus, no lugar que escolher, na festa dos pães ázimos, e na festa das semanas, e na festa dos tabernáculos; porém não aparecerá vazio perante o SENHOR; Cada um, conforme ao dom da sua mão, conforme a bênção do SENHOR teu Deus, que lhe tiver dado”.

A palavra “festa” é: 2282 hag; chag {chag} ou gx; chag {khawg}; seu significado: 1) Festival; festa – 1a) Festa 1b) sacrifício. Esta palavra aparece em Aramaico e Siríaco e Arábico. O Hebreu bíblico mostra ela 62 vezes e em todos os períodos, com exceção da literatura sábia. Esta palavra refere-se especialmente a “festa observada dos peregrinos”. A primeira vez que essa palavra foi usada foi quando Moises disse a Faraó, “E Moisés disse: Havemos de ir com os nossos jovens, e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas, com as nossas ovelhas, e com os nossos bois havemos de ir; porque temos de celebrar uma festa ao SENHOR”. Chag (or chag) geralmente representa Israel e suas três “festas de peregrinos”.  Outros lugares onde está palavra se encontram são: Êx 12:14 (Páscoa), Êx 23:14 (Três Festa de Peregrinos), Levíticos 23:39, 41 (Tabernáculos), Números 29:12 (Tabernáculos), Naum 1:15; Zacarias 14:16-19 (Tabernáculos).

Muitas pessoas não entendem o que esse “três vezes por ano” significa. Mas por que somente “três vezes” por ano em vez de sete? O que “essas três vezes” significa de qualquer forma. Este tempo significa tempo ou ocorrência. Então, há precisamente três “ocorrências” que devem acontecer em cada ano quando Deus requerer a presença de Seu povo perante Ele…

Festivais x Dias Santos, Há uma diferença!

Milhares de Cristãos entende que a Festa de Tabernáculos é uma ocorrência anual envolvendo viajando para um lugar onde ‘Deus escolheu’ por sete dias. Mesmo assim muitos não realizam que Pães Asmos e Pentecoste são da mesma classificação, sendo “festa de peregrinos” como é Festa de Tabernáculos. É importante entender a diferença entre os Dias Santos e os dias dos três Festivais para que os observa-los corretamente. Ezequiel 46:11, “E nas festas (#2282, chag) e nas solenidades (#4150, mo’ed) a oferta de alimentos será um efa …”. Há dois lugares nas escrituras onde as ‘Festas dos Peregrinos’ foi mencionada e elas não se referem aos sete Dias Santos Anuais (que são mo’ed), mas as Festas de Deus! Deut 16:16 é um deles e o outro é Êx 23:14.

Há somente três Festas [chag] cada ano e isso era mandatório no antigo Israel que “Três vezes no ano todo o homem entre ti aparecerá perante o SENHOR teu Deus…” Deuteronômio 16:16. Estas três Festas são especificada por nome. O tempo que Deus designou para ser Festa [chag] é completamente diferente dos Dias Santos [mo’ed]. Mo’ed identifica um período de 24 horas, um dia inteiro, como um dia nomeado por Deus.

Deus convenientemente mostra todos eles num só capítulo de Levíticos 23. Eles são listados como os temos nomeados por Deus, e não para o homem. Estes mo’ed são: O Primeiro Dia dos Pães Asmos, O Último Dia dos Pães Asmos, Pentecostes, Dia das Trombetas, Dia de Expiação, O Primeiro Dia da Festa de Pentecostes, e o Oitavo Dia (ou Ultimo Grande Dia). Mas a ‘festa’ [chag]  carrega uma conotação e propósito bem diferente de mo’ed.

Êxodo 23:14-17, 20-22, 25-26 “Três vezes no ano me celebrareis festa. A festa dos pães ázimos guardarás; sete dias comerás pães ázimos, como te tenho ordenado, ao tempo apontado no mês de Abibe; porque nele saíste do Egito; e ninguém apareça vazio perante mim; E a festa da sega dos primeiros frutos do teu trabalho, que houveres semeado no campo, e a festa da colheita, à saída do ano, quando tiveres colhido do campo o teu trabalho. Três vezes no ano todos os teus homens aparecerão diante do Senhor DEUS… Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado. Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebeldia; porque o meu nome está nele. Mas se diligentemente ouvires a sua voz, e fizeres tudo o que eu disser, então serei inimigo dos teus inimigos, e adversário dos teus adversários… E servireis ao SENHOR vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de vós as enfermidades. Não haverá mulher que aborte, nem estéril na tua terra; o número dos teus dias cumprirei”.

A ‘Festa’ é um evento no qual deve ser observada como um ‘festival’. A ‘festa’ é um período de tempo medido em dias. A Festa de Pães Asmos e a Festa dos Tabernáculos tem cada um 7 dias de duração. A ‘chag’ não é um ‘dia’, mas qualquer tempo que foi designado a ‘festa’. Então, durante a Festa de Tabernáculos, que tem exatamente uma semana de duração – 7 dias – é somente ‘um’ chag. Frequentemente, as pessoas pensam do chag com sendo um dia e depois pensam que há sete dias de chag na festa de Tabernáculos. Há somente um chag na Festa de Tabernáculos. E esse chag dura 7 dias. Por favor, mantenha isso na mente enquanto estudamos o restante deste artigo e depois para sempre porque isso eliminará a confusão encontrada por muitas igrejas de hoje a respeito das ‘festas’ e Dias Santos.

Festas (Festivais)

Há outro termo que precisa ser esclarecido na referencia das três Festas de Deus, porque a não ser que entendemos isso, nós não celebraremos as Festas de Deus por completo. A palavra referida é #02287, ‘chagag’, ‘khaw-gag’. Ela é definida como “fazer uma festa, participar de um festival, ser peregrinos, fazer uma festa de peregrinos, celebrar, e dançar”. ‘Chagag’ é a raiz da palavra que chag, #2282. Note as ocorrências no que essa palavra, ‘chagag’ e ‘chag’ estão sendo usadas no mesmo verso. Em Lev 23:39, “Porém aos quinze dias do mês sétimo, quando tiverdes recolhido do fruto da terra, celebrareis [‘chagag’] <02287> a festa [‘chag’] <02282> do SENHOR por sete dias; no primeiro dia haverá descanso, e no oitavo dia haverá descanso”.

Em Êx 12:14, “E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis <02287> por festa [chag] <02282> ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis <02287> por estatuto perpétuo”. Em Lev 23:41, “E celebrareis <02287> esta festa [chag] <02282> ao SENHOR por sete dias cada ano; estatuto perpétuo é pelas vossas gerações; no mês sétimo a celebrareis”.  Note também em Núm 29:12, “Semelhantemente, aos quinze dias deste sétimo mês tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; mas sete dias celebrareis <02287>  festa [chag] <02282> ao SENHOR”. O uso da palavra ‘chagag’ (2287) em combinação com chag mostra claramente a necessidade de atender e participar do chag (festas). Enquanto chag é um nome, a palavra ‘chagag’ é um verbo. O verbo expressa a ação da sentença. O verbo nos fala o que temos que fazer com o nome ‘chag’.

De acordo com o dicionario Brown-Driver-Briggs, seu significado literal em Arábico é, ‘levar alguém para ou em rumo a um objeto de referência; fazer uma peregrinação’. E no Hebreu diz, ‘manter uma festa peregrina’.

Então vemos que há três tempos diferentes em que os Israelitas ‘peregrinavam’, viajavam para onde Deus colocou Seu nome nestas festas, ‘chag’: A Festa dos Pães Asmos, A Festa das Semanas (Pentecostes), e a Festa de tabernáculos. Há alguma diferença entre os dias no meio das Festas de Tabernáculos e os dias no meio das Festas de Pães Asmos? Não há nenhum mandamento para termos reuniões durante esses dias que não são santos nestas Festas, porque eles não são santos (mo’ed) dias. Apesarem de não serem santos, eles fazem parte do chag (festa). Deus, por definição, nos instruiu a manter todos os dias da Festa. O que deve ser mais do que evidente é o fato de que nunca ouve nenhuma indicação de qualquer jeito que era aceitável atender somente os dias santos (mo’ed)  destas festas e deixar de mãos os não santos. Devemos claramente mostrar que em todas as Escrituras o uso da palavra chag nunca foi usado em termo de referência há um Dia Santo individual ou nem mesmo os Sábados semanal, Dia das Trombetas, e Dia de Expiação. Aliás, chag, ou tempo de festa, tem um significado diferente de mo’ed (dias) santos (especialmente nos sete Dias Santos e Sábado semanais). Há poucas pessoas que tem entendido esta distinção. Simplesmente colocando, o chag é uma festa inteira, não somente os Sábados.

“No primeiro mês, no dia catorze do mês, tereis a páscoa, uma festa [chag] de sete dias; pão ázimo se comerá”, Ezequiel 45:21. O primeiro e último dias da Festa de Pães Asmos, o dia de Pentecostes e o primeiro dia da Festa de Tabernáculos são santos mo’ed. Entretanto, o resto dos dias dessas festas que não são santos, eles fazem parte do chag, festa, e devem ser celebrados. Há mais instruções de quando, de onde, e de que maneira essas três festas devem ser observadas. Antigamente, estas festas particulares não podiam ser mantidas em casa “dentro de nosso lar” a não ser que vivêssemos onde essa Festa fosse celebrada. Hoje, todos os esforços devem ser feitos para que observemos essas Festas em grupos.

Deut. 12:11, 17-18, “Então haverá um lugar que escolherá o SENHOR vosso Deus… Dentro das tuas portas não poderás comer o dízimo do teu grão, nem do teu mosto, nem do teu azeite, nem os primogênitos das tuas vacas, nem das tuas ovelhas; nem nenhum dos teus votos, que houveres prometido, nem as tuas ofertas voluntárias, nem a oferta alçada da tua mão… Mas os comerás perante o SENHOR teu Deus, no lugar que escolher o SENHOR teu Deus, tu, e teu filho, e a tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita que está dentro das tuas portas; e perante o SENHOR teu Deus te alegrarás em tudo em que puseres a tua mão”.

Estás são as três Festas que devem ser celebradas por completo de acordo com as escrituras.

Núm 28:16-25, “Porém no mês primeiro, aos catorze dias do mês, é a páscoa do SENHOR. E aos quinze dias do mesmo mês haverá festa; sete dias se comerão pães ázimos. No primeiro dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; Mas oferecereis oferta queimada em holocausto ao SENHOR, dois novilhos e um carneiro, e sete cordeiros de um ano; eles serão sem defeito. E a sua oferta de alimentos será de flor de farinha misturada com azeite; oferecereis três décimas para um novilho, e duas décimas para um carneiro. Para cada um dos sete cordeiros oferecereis uma décima; E um bode para expiação do pecado, para fazer expiação por vós. Estas coisas oferecereis, além do holocausto da manhã, que é o holocausto contínuo. Segundo este modo, cada dia oferecereis, por sete dias, o alimento da oferta queimada em cheiro suave ao SENHOR; além do holocausto contínuo se oferecerá isto com a sua libação. E no sétimo dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis”.

Núm 28:26-31, “Semelhantemente, tereis santa convocação no dia das primícias, quando oferecerdes oferta nova de alimentos ao SENHOR, segundo as vossas semanas; nenhum trabalho servil fareis. Então oferecereis ao SENHOR por holocausto, em cheiro suave, dois novilhos, um carneiro e sete cordeiros de um ano; E a sua oferta de alimentos de flor de farinha misturada com azei-te: três décimas para um novilho, duas décimas para um carneiro; E uma décima, para cada um dos sete cordeiros; Um bode para fazer expiação por vós. Além do holocausto contínuo, e a sua oferta de alimentos, os oferecereis (ser-vos-ão eles sem defeito) com as suas libações”.

O propósito da oferta de cheiro suave é porque a oferta SERIA ACEITA por Deus durante a Festa.

A oferta era oferecida junta com a oferta de pecado.

Será que Deus aceita uma oferta para Ele? Deus aceitaria a oferta que você faria a Ele em todas as áreas? A única maneira que Deus irá aceitar a oferta de nós e se oferecemos ela de acordo com os mandamentos Dele.

Não podemos de nenhuma maneira pensar que porque não sacrificamos animais que não precisamos observar a Festa de Pães Amos, da mesma maneira, podemos dizer que não observamos a Festa de Tabernáculos porque não oferecemos animais para sacrifício.

Ambas as Festas estão sendo mandadas a serem observadas – todos os sete dias de festa [chag].

Lev 22:17-21; 22:17, “Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala a Arão, e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e dize-lhes: Qualquer que, da casa de Israel, ou dos estrangeiros em Israel, oferecer a sua oferta, quer dos seus votos, quer das suas ofertas voluntárias, que oferecem ao SENHOR em holocausto, Segundo a sua vontade, oferecerá macho sem defeito, ou dos bois, ou dos cordeiros, ou das cabras. Nenhuma coisa em que haja defeito oferecereis, porque não seria aceita em vosso favor. E, quando alguém oferecer sacrifício pacífico ao SENHOR, separando dos bois ou das ovelhas um voto, ou oferta voluntária, sem defeito será, para que seja aceito; nenhum defeito haverá nele”.

1. Por que Deus rejeitou Israel e as ofertas que eles fizeram?

Comentário: Mal 1:8-13, “Porque, quando ofereceis animal cego para o sacrifício, isso não é mau? E quando ofereceis o coxo ou enfermo, isso não é mau? Ora apresenta-o ao teu governador; porventura terá ele agrado em ti? ou aceitará ele a tua pessoa? diz o SENHOR dos Exércitos. Agora, pois, eu suplico, peça a Deus, que ele seja misericordioso conosco; isto veio das vossas mãos; aceitará ele a vossa pessoa? diz o SENHOR dos Exércitos. Quem há também entre vós que feche as portas por nada, e não acenda debalde o fogo do meu altar? Eu não tenho prazer em vós, diz o SENHOR dos Exércitos, nem aceitarei oferta da vossa mão. Mas desde o nascente do sol até ao poente é grande entre os gentios o meu nome; e em todo o lugar se oferecerá ao meu nome incenso, e uma oferta pura; porque o meu nome é grande entre os gentios, diz o SENHOR dos Exércitos. Mas vós o profanais, quando dizeis: A mesa do Senhor é impura, e o seu produto, isto é, a sua comida é desprezível. E dizeis ainda: Eis aqui, que canseira! E o lançastes ao desprezo, diz o SENHOR dos Exércitos; vós ofereceis o que foi roubado, e o coxo e o enfermo; assim trazeis a oferta. Aceitaria eu isso de vossa mão? diz o SENHOR”.

Jer 14:1-12, “Assim diz o SENHOR, acerca deste povo: Pois que tanto gostaram de andar errantes, e não retiveram os seus pés, por isso o SENHOR não se agrada deles, mas agora se lembrará da iniqüidade deles, e visitará os seus pecados. Disse-me mais o SENHOR: Não rogues por este povo para seu bem. Quando jejuarem, não ouvirei o seu clamor, e quando oferecerem holocaustos e ofertas de alimentos, não me agradarei deles; antes eu os consumirei pela espada, e pela fome e pela peste”.

Ezequiel 20:34-44, “E vos tirarei dentre os povos, e vos congregarei das terras nas quais andais espalhados, com mão forte, e com braço estendido, e com indignação derramada. E vos levarei ao deserto dos povos; e ali face a face entrarei em juízo convosco; Como entrei em juízo com vossos pais, no deserto da terra do Egito, assim entrarei em juízo convosco, diz o Senhor DEUS. Também vos farei passar debaixo da vara, e vos farei entrar no vínculo da aliança. E separarei dentre vós os rebeldes, e os que transgrediram contra mim; da terra das suas peregrinações os tirarei, mas à terra de Israel não voltarão; e sabereis que eu sou o SENHOR. Quanto a vós, ó casa de Israel, assim diz o Senhor DEUS; Ide, sirva cada um os seus ídolos, pois que a mim não me quereis ouvir; mas não profaneis mais o meu santo nome com as vossas dádivas e com os vossos ídolos. Porque no meu santo monte, no monte alto de Israel, diz o Senhor DEUS, ali me servirá toda a casa de Israel, toda ela naquela terra; ali me deleitarei neles, e ali requererei as vossas ofertas alçadas, e as primícias das vossas oblações, com todas as vossas coisas santas; Com cheiro suave me deleita-rei em vós, quando eu vos tirar dentre os povos e vos congregar das terras em que andais espalhados; e serei santificado em vós perante os olhos dos gentios. E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu vos introduzir na terra de Israel, terra pela qual levantei a minha mão para dá-la a vossos pais. E ali vos lembrareis de vossos caminhos, e de todos os vossos atos com que vos contaminastes, e tereis nojo de vós mesmos, por causa de todas as vossas maldades que tendes cometido. E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu proceder para convosco por amor do meu nome; não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, disse o Senhor DEUS”.

Versículo 34 diz, “E vos tirarei dentre os povos…” Mas quando isso acontecerá?

Estes povos estão esperando a Segunda ressurreição. Ver 40-42 diz que Deus irá aceitar o cheiro suave das ofertas depois que Deus os trazerem de volta a Israel. Nesse tempo, haverá grande gloria a Deus.

Este tempo discutido em Ezequiel 20 ainda está no nosso futuro bem próximo. Mas Deus ainda requeri que observamos Seus mandamentos dos Dias Santos.

Ofertas de sacrifício não têm sido terminadas. Elas simplesmente foram transformadas de físico a espiritual como as escrituras declaram. Efé 5:1-2, “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave”.

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor meu!”, Salmos 19:14.

“Aceita, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, ó SENHOR; ensina-me os teus juízos”, Salmos 119:108.

“Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus”, Filipenses 4:18.

“Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo; Se é que já provastes que o Senhor é benigno; Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo”, 1 Pedro 2:1-5.

Nossas ofertas de hoje tem que vim de um coração puro e de boas obras?

Vamos entender o livro de Ezequiel.

Os capítulos do livro de Ezequiel são divididos em quatro partes: 1) 1-3 A chamada de Ezequiel e sua comissão 2) 4-24 Julgamento da nação de Judá 3) 25-32 Julgamento nas nações ao redor 4) 33-48 a futura benção de Deus ao Seu povo.

Capítulo 37 é a respeito do “Vali de Osso Seco”, no qual acontecerá durante o Trono Branco de Julgamento (Segunda Ressurreição) depois de Jesus Cristo reinar por 1.000 anos na terra.

Se compararmos Apoc 20:7-9 com Ezequiel 38-39 veremos que Gogue e Magogue atacarão o povo de Deus depois que os 1.000 anos tiverem terminados.

Ezequiel 45:18-25 é uma profecia para Israel depois do Milênio.

Ver. 21 mostra que a Festa de Pães Asmos ainda está sendo observada por sete dias. Ver. 25 mostra o sacrifício mandado durante as ofertas nos sete-dias de celebração da Festa de Tabernáculos e que esses sacrifícios serão exatamente feitos da mesma maneira que dos sete dias da Festa dos Pães Asmos.

Aquelas pessoas que regularmente observam os Dias Santos hoje em dia entendem que a Festa de Tabernáculos é celebrada por sete-dias. O Antigo testamento mostra que Israel tinha de estarem lá todos os sete idas para oferecer sacrifícios cada dia durante a Festa que acontece no Outono.

O fato que muitos hoje me dia não entendem que a Festa de Pães Asmos foi mandada a ser observada por sete dias. Sempre ouve sacrifício de ofertas cada dia desta Festa que acontece na Primavera. Ezequiel diz que Deus obrigará essa Festa a ser observada mesmo depois do novo céu e a nova terra. Muitas vezes usamos Zacarias 14:16-19 com prova de que devemos observar a Festa de Tabernáculos hoje porque ela acontecerá durante o milênio.

Usando a mesma logica, por acaso Ezequiel 45:18:25 não comprovaria também que temos que observar a Festa de Pães Asmos todos os sete-dias também?

Não sejamos hipócritas em nossos pensamentos!

Paremos de pensar que seremos aceito por nosso Deus mesmo se não fizermos as coisas que Ele quer!

2 Crôn 30:1-27 “Depois disto Ezequias enviou mensageiros por todo o Israel e Judá, e escreveu também cartas a Efraim e a Manassés para que viessem à casa do SENHOR em Jerusalém, para celebrarem a páscoa ao SENHOR Deus de Israel. Porque o rei tivera conselho com os seus príncipes, e com toda a congregação em Jerusalém, para celebrarem a páscoa no segundo mês. Porquanto não a puderam celebrar no tempo próprio, porque não se tinham santificado sacerdotes em número suficiente, e o povo não se tinha ajuntado em Jerusalém. E isto pareceu bem aos olhos do rei, e de toda a congregação. E ordenaram que se fizesse passar pregão por todo o Israel, desde Berseba até Dã, para que viessem a celebrar a páscoa ao SENHOR Deus de Israel, em Jerusalém; porque muitos não a tinham celebrado como estava escrito. Foram, pois, os correios com as cartas, do rei e dos seus príncipes, por todo o Israel e Judá, segundo o mandado do rei, dizendo: Filhos de Israel, convertei-vos ao SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel; para que ele se volte para o restante de vós que escapou da mão dos reis da Assíria. E não sejais como vossos pais e como vossos irmãos, que transgrediram contra o SENHOR Deus de seus pais, pelo que os entregou à desolação como vedes. Não endureçais agora a vossa cerviz, como vossos pais; dai a mão ao SENHOR, e vinde ao seu santuário que ele santificou para sempre, e servi ao SENHOR vosso Deus, para que o ardor da sua ira se desvie de vós. Porque, em vos convertendo ao SENHOR, vossos irmãos e vossos filhos acharão misericórdia perante os que os levaram cativos, e tornarão a esta terra; porque o SENHOR vosso Deus é misericordioso e compassivo, e não desviará de vós o seu rosto, se vos converterdes a ele. E os correios foram passando de cidade em cidade, pela terra de Efraim e Manassés até Zebulom; porém riram-se e zombaram deles.
Todavia alguns de Aser, e de Manassés, e de Zebulom, se humilharam, e vieram a Jerusalém.
E a mão de Deus esteve com Judá, dando-lhes um só coração, para fazerem o mandado do rei e dos príncipes, conforme a palavra do SENHOR. E ajuntou-se em Jerusalém muito povo, para celebrar a festa dos pães ázimos, no segundo mês; uma congregação mui grande.
E levantaram-se, e tiraram os altares que havia em Jerusalém; também tiraram todos os altares de incenso, e os lançaram no ribeiro de Cedrom. Então sacrificaram a páscoa no dia décimo quarto do segundo mês; e os sacerdotes e levitas se envergonharam e se santificaram e trouxeram holocaustos à casa do SENHOR. E puseram-se no seu posto, segundo o seu costume, conforme a lei de Moisés, o homem de Deus; e os sacerdotes espargiam o sangue, tomando-o da mão dos levitas. Porque havia muitos na congregação que não se tinham santificado; pelo que os levitas tinham o encargo de matarem os cordeiros da páscoa por todo aquele que não estava limpo, para o santificarem ao SENHOR. Porque uma multidão do povo, muitos de Efraim e Manassés, Issacar e Zebulom, não se tinham purificado, e contudo comeram a páscoa, não como está escrito; porém Ezequias orou por eles, dizendo: O SENHOR, que é bom, perdoa todo aquele Que tem preparado o seu coração para buscar ao SENHOR Deus, o Deus de seus pais, ainda que não esteja purificado segundo a purificação do santuário. E ouviu o SENHOR a Ezequias, e sarou o povo. E os filhos de Israel, que se acharam em Jerusalém, celebraram a festa dos pães ázimos sete dias com grande alegria; e os levitas e os sacerdotes louvaram ao SENHOR de dia em dia, com estrondosos instrumentos ao SENHOR. E Ezequias falou benignamente a todos os levitas, que tinham bom  entendimento no conhecimento do SENHOR; e comeram as ofertas da solenidade por sete dias, oferecendo ofertas pacíficas, e louvando ao SENHOR Deus de seus pais. E, tendo toda a congregação conselho para celebrarem outros sete dias, celebraram ainda sete dias com alegria. Porque Ezequias, rei de Judá, ofereceu à congregação mil novilhos e sete mil ovelhas; e os príncipes ofereceram à congregação mil novilhos e dez mil ovelhas; e os sacerdotes se santificaram em grande número. E alegraram-se, toda a congregação de Judá, e os sacerdotes, e os levitas, toda a congregação de todos os que vieram de Israel, como também os estrangeiros que vieram da terra de Israel e os que habitavam em Judá.
E houve grande alegria em Jerusalém; porque desde os dias de Salomão, filho de Davi, rei de Israel, tal não houve em Jerusalém. Então os sacerdotes e os levitas se levantaram e abençoaram o povo; e a sua voz foi ouvida; porque a sua oração chegou até à santa habitação de Deus, até aos céus”.

Irmãos, asseguremos em preparar para a Festa de Pães Asmos que está chegando.

Temos esse registro nas escrituras que Deus estava com aqueles que observarão a Festa de sete dias. Você quer que sua oração seja ouvida no céu?

Agora você sabe o que fazer.

  1. Leave a comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: