Archive for category Jubileu

Por que Deus permite o sofrimento? Part 3 e final

As Eras

Era da Desolação até a Era da Instrução (1 a 2.000 anos): Essa era começou quando a terra era desolada e arruinada (Gênesis 1:2). Durante esta era, Adão e Eva foram expulsos do Jardim do Éden (Gênesis 3:1-4); o dilúvio aconteceu e destruiu a terra durante o tempo de Noé (Gênesis 7:1-8; 22); e os povos foram espalhados pela terra no tempo da Torre de Babel (Gênesis 11:1-9). A transição entre A Era da Desolação e a Era da Instrução aconteceu em meados do ano Jubileu 40.

Antes de o universo ser criado, havia Deus (João 17:5). No começo, Deus criou o universo físico no Dia 1, do Mês 1 do Ano Espiritual 1 em meados do Ano Jubileu 0 (Gênesis 1:1). O mundo criado ficou perfeito por 179 dias antes de ser destruído pela rebelião de Satanás que arruinou e desolou o universo (Gênesis 1:2). Nesse momento, a luz foi separada da escuridão no Dia 1, do Mês 7 no Ano Civil 1 (Gênesis 1:3). Deus criou o universo físico durante os sete dias de criação, iniciando o primeiro ano Jubileu. A contagem regressiva para o final de todas as eras começou no Dia 1 da criação espiritual do universo físico. 

Alguns tem calculado essa transição acontecendo no Dia 1 do Mês 1 no ano Espiritual 2001. Isso equivale no calendário Juliano como dia 10 de Abril de 1986 a.C.

Era da Instrução até a Era do Messias (2001 à 4001): Este era conhecida também como era do Torá. Este era aconteceu quando Moisés recebeu as instruções no Monte Sinai de Deus. Todos os profetas de Elias até Malaquias viveram nesta época e o Messias nasceu no final desta era (Hebreu 9:26).

Foi nessa Era de Instrução que o Criador estabeleceu Sua aliança através de Abraão com a humanidade (Gênesis 12:1-9; 13:14-17; 15:1-21; 17:1-27; 22:1-18), e Isaque (Gênesis 26:1-5; 26:23-25), Jacó (Gênesis 28:10-22; 35:9-15), e Moisés (Êxodos 19:16-24:3), e Davi (Salmos 89:3-4; 89:19-37).

Muitos profetas foram enviados a Israel durante esta Era. O próprio Messias nasceu no final desta Era de Instrução (Mateus 1:18-25; Lucas 2:6-7; Hebreus 9:26).

Isaías profetizou que os filhos de Israel seriam ensinados por Cristo (Isaías 54:13), e foi exatamente o que aconteceu durante a Era do Messias. O Messias ensinou em parábolas, e depois renovou a aliança com a humanidade em dar Sua própria vida para todos que acreditam e obedecem a Ele (Jeremias 31:31-34, Hebreus 8:8-12)

A transição entre a Era da Instrução e a Era do Messias ocorreu em meados do ano Jubileu 80.

Alguns tem calculado que essa Era de Instrução ou Era do Messias aconteceu no segundo dia da semana, no Dia 1 do Mês 1 no ano Espiritual de 4001; no calendário Juliano seria Domingo, dia 10 de Março do ano 15 d.C.

O Messias veio para resgatar Israel no começo da Era do Messias (Lucas 24:21; Gálatas 4:4-5; Tito 2:11-14). Ele retornará como o Salvador do mundo no final desta era (João 4:42; 1 João 4:14). Suas obras no começo e no fim desta era levou o nome Dele para está era.

 Por que Deus permite sofrimento?sufering

             Como vemos aqui, notamos que Deus deixou o homem seguir e fazer o que achar que é certo. Isso aconteceu depois da desobediência de Adão e Eva. Deus deu a humanidade 6 mil anos para fazermos o que queremos. A seguir e tomar as decisões de que achamos que é correto. E assim Deus nos deu 120 anos de Jubileus que corresponde a 6 mil anos. Estamos chegando bem perto do final desses 6 mil anos.

Deus deixou Satanás encarregado da terra neste tempo. Hoje em dia, Satanás ainda é o governante dessa terra, “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência”, Efésios 2:2. Como ilustração aqui, Satanás transmite suas emoções sentimentos maligno pelo ar e nos como ser humano captamos esses ondas malignas vindo dele como uma antena de transmissão de radio ou telefone celular.

 Satanás é o deus desse mundo

             Jesus Cristo explicou com bastante clareza que Satanás é o deus [“d” minúsculo] desse mundo. Note algumas escrituras…

             “Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim”, João 14:30.

             “Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus”, 2 Coríntios 4:4.

Aqui está a resposta da pergunta. Deus deixa o sofrimento acontecer porque este não é seu mundo ainda. Deus não governa esse mundo. Deus não é o Deus desse mundo. É claro que Deus coloca um limite nas coisas que Satanás e os demônios fazem senão é claro, todos nós seriamos executados por eles. Mas Deus não governa o mundo nesse momento. Mas, isso mudará.

towerDepois que os 6 mil anos passarem, Deus restaurará tudo para Ele, “O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”, Atos 3:21.

            Nesse tempo, Deus irá prender o Diabo, “vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo”, Apocalipse 20:1-3 e restaurará o governo de Deus nessa terra.

Sim, o próprio Jesus disse que Satanás já foi julgado e condenado porque Cristo venceu o mundo, “E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado”, João 16:11.

 Deus governará a terra

             Sim, o tempo chegará onde o Senhor governará a terra. Que lindo será o mundo de amanhã. Estamos tão próximo dele. Deus não deixará existir a violência e finalmente o homem aprenderá o caminho da paz que é em obedecer às palavras de Deus, “E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear”, Isaías 2:4.

            Os desertos terão água, “Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão. Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; porque águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. E a terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas; e nas habitações em que jaziam os chacais haverá erva com canas e juncos”, Isaías 35:5-7.

            Sim, há tanta indicação do como será o mundo de amanhã. Tudo será diferente.

 “A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar”, Isaías 11:7-9Até a natureza dos animais serão mudados. O leão comerá palha e não matará mais por carne. E não haverá qualquer tipo de violência na terra onde Deus chama de “santo monte”. Será um mundo feliz e pacífico.

 Deus encherá a terra de seus conhecimentosea

             “Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar”, Isaías 11:9.

Sem dúvida alguma, uma das melhores coisas que acontecerá no mundo de amanhã não é que não vai haver doença, ou violência ou destruição dos homens e animais ou fome ou seca, mas que Deus nos dará toda a sua palavra.

Nós poderemos seguir nossas vidas aqui na terra seguindo todas as palavras de Deus. Em tudo, horaremos nosso Deus. Não mais por conta própria iremos escolher o bem e o mal, pois o homem simplesmente não sabe. Veremos a destruição que o homem causou a si mesmo por 6 mil anos que Deus deixou por conta dele.

Sim, até que enfim aprenderemos o confiar em Deus e segui-Lo. Ele nos derramará o Seu Espírito Santo na terra e todos nós conheceremos os mistérios de Deus, “E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne… naqueles dias derramarei o meu Espírito”, Joel 2:28-29.

 Deus, o Deus da terra

             Deus passará a ser o Deus da terra. Dele se livrará do diabo e passará a governar a terra como nosso Deus com grande justiça e misericórdia…

             prayingman“E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis”, Apocalipse 21:1-5.

 Que maravilha! Quando Deus não permitirá mais o sofrimento

Leave a comment

PENTECOSTES, O JUBILEU DE DIAS

Nota: Receba a Festa de PENTECOSTES com um toque de corneta!

A Festa de Pentecostes cai no dia 50 – sete Sábados contados começando no Sábado da semana da Oferta de Movimento. A Oferta de Movimento descreve Cristo sendo aceito pelo Pai por nós como a remissão de nossos pecados, Ele é o Sumo Sacerdote e intercessor por nós perante o Pai. Neste dia, Jesus Cristo tornará nosso Sumo Sacerdote para sempre na ordem de Melquisedeque “Jurou o SENHOR, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque”, Salmos 110:4 .

Cristo se tornou o Rei de Israel no Sinai, em Pentecostes quando Cristo e o povo entraram na aliança, frequentemente chamada de Velho (Antigo) mandamento. Em Pentecostes o povo pediu a Moisés ser um mediador entre eles e Deus nessa nova aliança! E Cristo concordou.

Como Moisés foi o Mediador do Velho Testamento, Jesus Cristo se tornou o Mediador do Novo Testamento!

A rebelião de Coré foi uma rebelião contra o Mediador da Aliança e é equivalente a qualquer homem que segui outro homem – um homem não pode representar outro homem perante Deus. Temos somente um Mediador entre o homem e Deus.

Jesus Cristo É o nosso mediador e nós não devemos seguir qualquer outro homem ou grupo contrário aos exemplos e instruções de Jesus Cristo.

A rebelião de Coré é frequentemente torcida para ensinar que o homem tem que ser fiél a organização ou a outro homem.

Isso é um grande erro. A lição de Coré significa exatamente o contrário que devemos sempre ser leal ao nosso Sumo Sacerdote e o nosso Mediador  da Aliança: Jesus Cristo! E não a qualquer organização ou homem. Devemos ser leal a Jesus somente e acima de tudo. Ser leal para um organização em vez de Deus é idolatria.

No primeiro pentecostes Cristo se tornou Rei sobre Israel. Naquele dia, o Rei escreveu as leis básicas em duas tábuas de pedra para todo o povo.

Em Jeremias 31, vemos que a primeira aliança falhou devido ao coração duro das pessoas bem representado nas duas tábuas de pedra. Deus falou para Jeremias que uma Nova Aliança seria feita para o povo e a lei seria escrita, não em pedras, mas nos corações das pessoas.

Joel cheio do espírito de Deus profetizou que Deus daria a toda carne Seu espírito no dia do Senhor, Joel 2:28; e Pedro explicou que era o espírito de Deus que foi dado para as pessoas em Atos 2, no dia de Pentecostes em 31 a.C. Paulo explicou em Hebreus que é através do espírito de Deus que a lei será escrita nos corações das pessoas na Aliança Nova, ou Novo Testamento.

Isto aconteceu na Festa de Pentecostes em 31 a.C. mas foi somente para poucas pessoas, mostrando que as profecias de Joel ainda irá acontecer.

*1)         Pentecostes aconteceu no dia 50 depois que Jesus Cristo se tornou nosso Sumo Sacerdote e intercessor para “os Chamados do Egito”. Em Pentecostes ( no monte Sinai), a lei foi dada ao povo escrita em tábuas de pedra, um casamento entre o povo e Jesus Cristo.

*2)         Em 31 a.C. na Festa de Pentecostes, o Espírito Santo foi oficialmente dado, estabelecendo oficialmente essa Nova Aliança prometida em Jeremias. Neste Pentecostes, Cristo começou a oficializar e escrever Sua lei nos corações dos “chamados do Egito deste mundo”. Neste dia, Cristo se tornou o Rei assim que Ele foi levado para o Pai e se tornou Sumo Sacerdote no dia da Oferta de Movimento, que aconteceu naquela semana de Domingo.

*3)         Num futuro bem perto de Pentecoste, Cristo derramará o Espírito de Deus sobre toda carne, Joel 2:28 e o Reino de Deus será estabelecido; mas desta vez será por toda a terra.

Fomos instruídos a contar sete Sábados e a observar Pentecostes no dia depois do sétimo Sábado; no qual é o dia cinquenta. Sendo assim, Pentecostes sempre acontecerá no Domingo, um dia depois do Sábado.

Desta mesma maneira, também fomos instruídos a contar sete Sábados em anos, ou seja, um Sábado representa sete anos, e observar o ano de Jubileu. Depois que passar esses setes Sábados, (1 ano de Sábado tem 7 anos; então 7 anos de Sábado tem 49 anos), no ano seguinte, que será o ano 50, celebraremos o Jubileu de anos, na Festa de Expiação. O Jubileu de anos começa a ser contado e terminado na Festa de Expiação e não no início do ano.

A própria palavra “Jubileu” significa “Tocar da Trombeta”!

Nesta tocar da trombeta de liberdade todas as dívidas [pecados] serão perdoados, haverá a remoção de Satanás para sempre; e a restauração do governo de Deus acontecerá em toda a terra! Gloria e honra a Deus pela Sua grande misericórdia e amor conosco!

Neste Jubileu de dias, nesse Pentecostes ( que também chama-se Pentecostes porque a palavra pentecoste significa cinquenta), que está chegando bem em breve:

*1) Satanás será removido da terra por 1.000 anos (no dia de Pentecostes de dias), e será totalmente removido desta terra para sempre no Jubileu de anos ( no dia de Expiação), no começo da colheita maior.

*2) Liberdade de Satanás e pecado será declarada quando o espírito de Deus for colocado em toda a carne.

*3) O Governo de Deus restaurará toda a terra; e paz acontecerá sobre a terra.

*4) Toda a humanidade vivendo naquele tempo será levada a Nova Aliança, e se eles crescerem e vencerem, eles entrarão na família espiritual de Deus!

A mesma coisa acontecerá com o Jubileu de anos, quando a colheita maior da humanidade receber a oportunidade de entrar na família de Deus.

Leave a comment

PENTECOSTES, O JUBILEU DE ANOS

Pentecostes é a respeito de contar as semanas de Oferta de Movimento (7 semanas) até chegar a pentecostes – Jubileu de dias; enquanto, Expiação conta as semanas que é representada em anos  (50 anos)– Jubileu de anos.

Há aqueles que pensam que o Milênio chegará no Jubileu de anos. Isto é um erro, assim como o Jubileu dos anos refere-se à colheita de Outono e NÃO a colheita anterior dos Primeiros-Frutos.

O JUBILEU DE ANOS (a cada 50 anos)

Como Pentecostes é o Jubileu dos dias; o jubileu de anos acontece na Festa de Expiação. Temos que contar as semanas do Sábado até chegarmos a cinquenta dias: Temos que contar os anos como sábado para alcançar os 50 anos.

Com o ano 50 alcançado, a nova aliança será estabelecida com o perdão das dividas [pecado] que será estendida a todos aqueles que não foram qualificados entre os Primeiros-frutos.

Pentecostes, o Jubileu dos dias, mostra a extensão dessa Nova Aliança, para a maior colheita.

A Festa de Expiação, o jubileu de anos, mostra a extensão da Nova Aliança, para a colheita maior.

“Falou mais o SENHOR a Moisés no monte Sinai, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao SENHOR. Seis anos semearás a tua terra, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos; Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao SENHOR; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha. O que nascer de si mesmo da tua sega, não colherás, e as uvas da tua separação não vindimarás; ano de descanso será para a terra. Mas os frutos do sábado da terra vos serão por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu diarista, e ao estrangeiro que peregrina contigo; E ao teu gado, e aos teus animais, que estão na tua terra, todo o seu produto será por mantimento. Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos”, Levítico 25:1-8. O jejum que fazemos no dia de Expiação é a proclamação do ano de Jubileu.

Pentecostes tem o mesmo significado para a colheita da primavera como Expiação tem para a colheita do Outono. Ambos são dias de L I B E R D A D E dos pecados e de todos os tipos de escravidão, e o estabelecimento da liberdade e restauração dos povos em suas terras que foram dadas por Deus. Eles têm o mesmo significado de remover a opressão e a escrita da lei nos corações das pessoas.

Em Pentecostes, a Nova Aliança dos Primeiros-Frutos foi confirmada com o derramamento do espírito santo de Deus às pessoas em 31 a.C. Na Pentecostes, de um futuro bem próximo, o derramamento do espírito de Deus acontecerá sob toda a carne, Joel 2:28; e toda a carne terão as leis de Deus escritas em seus corações e mentes. Depois disso, assim como aconteceu com os Primeiros-Frutos que já viveram e estão vivendo hoje em dia, sendo zelosos e obedecendo a todos os mandamentos de Deus, eles terão de viver a vida deles nas leis e mandamentos de Deus antes de serem transformados em espírito.

A colheita maior terá também de ter as leis de Deus escritas em seus corações, DEPOIS DO MILÊNIO, na Expiação do Outono, no Jubileu de anos, e a Nova Aliança será estendida à colheita maior da humanidade. Pecados serão perdoados, Satanas será removido para sempre [não somente por mil anos], a expiação do Sacrifício de Cristo será aplicado à colheita maior; os festivais do Outono de Tabernáculos da colheita maior acontecerão.

“Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra, E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família. O ano qüinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das separações, Porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis”, Levítico 25:9-12.

Pentecostes é o Jubileu de anos porque ele se refere a colheita da primavera. O Jubileu de anos deixa bem claro que o dia de Expiação acontecerá no Outono e refere-se à colheita maior do Outono!

O que acontece com os Primeiros-Frutos em Pentecostes irá acontecer com a colheita maior em Expiação!

A própria palavra ‘Jubileu’ significa ‘toque de Trombeta’! O Jubileu de anos e dos dias são um Novo Começo em Cristo para as duas colheitas.

A colheita maior em Outono deve primeiro ser ressuscitada na Festa de Trombetas e depois eles devem ser levados ao ARREPENDIMENTO e liberados do pecado e do deus rei do Egito neste mundo; da mesma maneira que Israel foi liberado do deus rei do Egito.

Para ser bem claro, a cerimonia especial foi comandada para cada Jejum de Expiação.

“Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário. Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado”, Levítico 16:7-9

Leave a comment

Dízimo, Parte II

Vimos até agora como dizimar numa sociedade de agricultura. Mas, como seria o dízimo aplicado hoje em dia onde a maioria da população não trabalha em agricultura. Temos estudado também que muitas pessoas têm dizimado excessivamente, dando muito mais do que as escrituras e Deus tem comandando. Lembra que Deus pede que dizimemos o INCREMENTO de nosso fruto de trabalho.

“Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá. Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim; esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe, E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus”, Mateus 15:3-6.

Jesus Cristo disse que  nossa primeira obrigação é com Deus, mas mesmo assim você tem a obrigação com seu vizinho e isso inclui suas obrigações pessoais para pagar suas dívidas, operar um carro em boa manutenção e especialmente cuidar da família que família que Deus lhe abençoou.

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”, Mateus 22:36-40.

Jesus disse que ter paz com os outros é MAIS IMPORTANTE do que qualquer presente que poderá dar a uma igreja, mesmo assim muitos dão uma quantidade enorme de presente e sentem-se justos e que ao mesmo tempo não se arrependem de ofender ou de ter receio amargura contra outros.

“Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta”, Mateus 5:23-24.

Nossa condição espiritual deve vir de Deus primeiro e não de nosso desejo de dinheiro! Temos que ter nossa prioridade espiritual em ordem para:

“Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento”, Mateus 9:13.

Não podemos comprar nosso caminho ao Reino de Deus como alguns podem pensar.

Sim, as escrituras fala que Deus adora o que dá em boa atitude, mais esse parte da escritura mostra somente um lado e não é balanceada pois só mostra a atitude de dar aos outros; frequentemente negligenciando o segundo grande mandamento que é providenciar para a nossa própria família.

“Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel”, 1 Timóteo 5:8.

Qual era o exemplo pessoal de Paulo? Ele se tornou um peso na igreja por causa de seus gastos excessivos? NÃO.

Será que isso implica que ele não aceitava dízimos? NÃO.

Tenha muito cuidado em não pegar as escrituras de Paulo e se generalizar por causa de uma situação individual. Ele claramente disse que seria um peso maior nas igrejas maiores para que seu peso seja menor nas igrejas menores.

“Outras igrejas despojei eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado. Porque os irmãos que vieram da macedônia supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei”, 2 Coríntios 11:8-9.

Paulo pegou dízimos e ofertas dos irmãos para apoiá-lo e as necessidades do evangelho, porque ele pregava que Jesus Cristo recebeu dízimos dos Levitas e do sacerdócio de Israel através de nosso pai Abraão; sendo assim mostrando que passamos do sacerdócio dos Levitas para o sacerdócio de Cristo! Incluindo o de receber os dízimos!

Agora, neste tempo não há mais sacerdócio, mesmo assim TODOS que estão sendo “chamados” estão EM TREINAMENTO para se tornarem sacerdócios e todos tem o direito de pegar dízimos para o povo! Os chamados também tem a obrigação de receber o dízimo de tudo que eles receberão de Jesus Cristo; no qual são Seus representantes.

Isto é o mesmo que Israel, onde os dízimos foram dados aos Levitas, que depois dizimaram no que eles receberam dando-os ao Sumo Sacerdote.

Como estudantes em treinamento, devemos praticar esse sistema.

“E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro”, Hebreus 7:5-10.

O livro todo de Hebreus mostra uma explicação das diferenças entre o Antigo e a Nova Aliança e como as mudanças ocorreram.

Cristo comandou a Seus discípulos que ensinem todo o homem a manter todos os mandamentos e serem batizados para o arrependimento, Mat 28. Ele também mandou outros durante Seu ministério para o nosso exemplo: Nós temos que ir e pegar o que está sendo oferecido para nós, onde formos recebidos e providenciados.

“Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos. Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho. E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós. E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa. E, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que vos for oferecido. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus”, Lucas 10:3-9.

Paulo responde os argumentos daqueles que questionam o dízimo. Note que ele claramente apela para a LEI e os direitos de um ministro e não implora por presentes e ofertas.

1 Cor 9:3- 16, “Esta é minha defesa para com os que me condenam. Não temos nós direito [autoridade ou direito]  de comer e beber? Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? Ou só eu e Barnabé não temos direito [o direito de dedicar nós mesmos ao evangelho tempo integral] de deixar de trabalhar? Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não se alimenta do leite do gado? Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo? Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais? Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo. Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho. Mas eu de nenhuma destas coisas usei, e não escrevi isto para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer, do que alguém fazer vã esta minha glória. Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!”

Será que o apóstolo Paulo fez outro tipo de trabalho? SIM ele fez! Mas, isso foi por causa de certas circunstâncias como também muitos ministros têm feito para sustentá-los também.

A questão a ser perguntada aqui não é se os ministros podem trabalhar se eles tiverem de fazer isso; a resposta é SIM! A pergunta real é se estamos fazendo nossas obrigações perante Deus.

Nós temos que dizimar de TODOS os nossos incrementos depois de tirar as dívidas necessárias que tivemos em nossos incrementos – deduzindo nossa moradia [aluguel ou mensalidade da casa], carro, etc.

Considere o que este método faz:

  • Ele alivia o pobre e necessitado e ajudam eles a preencher suas obrigações com suas famílias cumprindo a segunda Grande Lei. Isso reflete o amor verdadeiro de Deus e a misericórdia das viúvas e pobres.
  • Ele providência uma testemunha e exemplos; que os caminhos de Deus não é um caminho financeiro de escravidão, sofrimento e miséria. Uma igreja de Deus é conhecida pelo amor verdadeiro de Deus e também pelos seus irmãos! Realmente, se amamos Deus, devemos também amar nossas famílias e irmãos em OBRAS e NÃO somente em palavras ou emoções!
  • Esse método também mostra um caminho muito mais balanceado, no qual obedecemos AMBOS os dois Grandes Mandamentos.

O caminho de Deus não é pesado e ele não é um gênero de pobreza. Satanás tem atacado muitos e causado muito miséria, e nós temos contribuído com a nossa miséria em dar muito mais em nossos dízimos e ofertas.

Aqueles que são capazes podem dar mais ofertas; mas não dê mais do que pode!  

Leave a comment

Dízimo, Parte I

O sistema de dizimar foi um meio financeiro na época Mosaica. Esse mesmo tipo financeiro de dízimo será implantado no Reino de Deus.

Neste momento estamos em transição dos Reinos, mesmo assim aqueles que estão sendo chamados devem aprender sobre as leis do Reino que está chegando, PRATICANDO-AS! Devemos ter o hábito de obedecer às leis de Deus mesmo se somos imperfeitos neste mundo e estamos encarando tantos problemas por causa disso.

PRATICANDO os mandamentos de Deus nesta era tão difícil, aprendemos a ter SABEDORIA em como aplicar os mandamentos nas diversas circunstâncias. Deus está usando estas circunstâncias difíceis para TESTAR nossa fé e dedicação e para nos ensinar sabedoria aplicando as leis em espírito e carta.

É claro, nossas circunstâncias são diferentes do Israel antigo e diferente do reino que está chegando! É através dessas diferenças e tribulação presentes que aprendemos sabedoria, verdade e fidelidade; e como aplicar o espírito e carta da lei quando as situações parecerem difíceis e duvidosas.

O QUE É O ESPÍRITO E INTENÇÃO DO DÍZIMO?

  1. Para apoiar financeiramente a operação da igreja.

  2. Para lembrar o povo que a terra que vivemos Deus nos deu e que o povo deve agradecer a Deus por nos ter providenciado.

  3. Para ensinar a obedecer a todas as leis de Deus.

  4. Para dar ao povo a oportunidade de chegar perante a Deus e aprender o caminho de vida.

Ninguém questiona que isso era a lei de Israel no tempo de Moisés; é a aplicação dessa lei nos dias de hoje que muitos questionam.

Hoje, temos que manter os dízimos – AMBOS na carta como também no espírito.

Não, não somos nenhum povo agrícola como nossa própria terra nesse momento; mesmo assim tempo que seguir o espírito e intenção das leis de dízimos nos quais serão forçados no Reino de amanhã, SE vencermos. Antes de podermos ensinar outras pessoas, TEMOS que ter a prática dessa experiência.

Devemos PROVAR nossa obediência no espírito e intenção de todos os mandamentos de Deus, então assim Deus poderá SABER que somos confiáveis e obedientes em todas as coisas Dele e para toda a eternidade!

O REINO DE DEUS MOSAICO

Quando Israel entrou na terra prometida; todas as famílias receberam uma herança de terra para sempre.

O povo não tinha pagamentos de casas enormes; mesmo se eles tirassem um empréstimo, depois de um certo tempo, todas as dívidas seriam perdoadas e a terra seria entrega aos donos originais.

Era bastante entendido que a terra pertencia a Deus que deixava para eles tomar de conta; e que uma porção da produção da terra era para ser dada de volta para Deus para o uso dos sacerdotes de Deus que ministravam as coisas Dele e que não tinham nenhum tipo de heranças da terra.

As pessoas pagavam o dízimo aos sacerdotes para as necessidades deles e os sacerdotes pagavam o dízimo deles ao Sumo Sacerdote para as necessidades pessoais dele e para a OBRA daqueles dias – para os trabalhos dos muitos sacrifícios em relação à nação.

Hoje temos um novo Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, mas não temos sacerdotes.

Toda pessoa que está sendo chamada está sendo treinada para ser um sacerdote no Reino de Deus sob o Sumo Sacerdote que é Jesus Cristo!

Mas, todos nós estamos sendo treinados e não fomos ainda elegidos para fazer parte deste sacerdócio! Serão SOMENTE na ressureição e vinda do Reino que os escolhidos serão sacerdotes e reis.

Nesse momento, somos irmãos neste treinamento; com os idosos apoiando os mais jovens e todos nós a serviços do Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, e O Pai.

Este sistema de dízimo será instituído como um meio de financiar o Reino de Deus!

Nesse momento não estamos vivendo no Reino de Deus! Estamos vivendo no reino de Satanás; o mundo de Satanás!

Sim, devemos fazer o máximo nas maiores dificuldade e circunstâncias dessa vida e ao mesmo tempo temos de deixar um bom exemplo a nossos vizinhos e financiar àqueles que se entregaram aos serviços de Deus; entenda que vivemos num mundo muito diferente e que Satanás está fazendo de tudo para nos manter longe dos mandamentos de Deus, incluindo os dízimos.

PRINCÍPIO DO DÍZIMO

Dízimo tem que ser feito do nosso incremento. Isto significa que todas as despesas para ganhar o dinheiro tem que ser calculado antes de dizimar.

  1. Essas despesas incluem, mas não são limitados a transporte, que incluiria passe de ônibus, manutenção do carro, seguro e compra de um carro.

  2. Necessidade de roupa de trabalho e suas limpezas.

  3. Aluguel e mensalidade da casa. Tenha em mente que Israel não tinha de pagar aluguel porque eles eram donos da casa deles e eles trabalharam e dizimaram somente do incremento da produção deles; e os ministros modernos são capazes de deduzir o aluguel ou mensalidade de casa da taxa deles nos países como Estados Unidos e Canada, etc

O espírito e intenção da lei de dízimo são para dar o dízimo do todo o incremento e não somente da agricultura. Isto não seria justo de jeito nenhum para outros segmentos de trabalho – tipo um agricultor teria que dar um dízimo mas o trabalhador da cidade não daria. Não, Deus criou a lei do dízimo para todas as pessoas e todos os segmentos de trabalho.

A verdade é que toda prosperidade econômica vem de Deus; até mesmo as propriedades de terra são uma benção de Deus. Devemos dar um dízimo de todos os nossos incrementos em qualquer função de trabalho.

EXEMPLO: Se você ganha $2 mil reais por mês e paga $800 reais em aluguel e $300 reais para transporte ao trabalho; então seu custo é de $1100 reais por mês; você deve dizimar do incremento de $2.000 – $1.100 = $900. Seu dízimo de $900 reais seria $90 reais.

2 Comments

O Jejum de Expiação

“E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e nenhum trabalho fareis nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o SENHOR.  É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; isto é estatuto perpétuo”, Levítico 16:29-31.

De acordo como o Calendário Bíblico baseado nos cálculos e confirmado pela luz visível da Lua Nova como sendo a chave principal que foi mantida no templo e por Jesus Cristo; o Jejum de Expiação começa hoje à noite, dia 8 de Outubro no pôr-do-sol até o outro pôr-do-sol.

Os Dias de Jubile

A festa de Pentecostes começa depois de cinquenta dias depois da Oferta de Movimento. A Oferta de Movimento mostra Cristo se elevando ao Pai e sendo aceito por todos nós como remissão por nossos pecados e como o nosso intercessor ao Pai. Nesse Dia, Jesus Cristo se tornou nosso Sumo Sacerdote de acordo com a ordem de Melquisedeque. Estamos agora sendo treinados para juntar com Ele nesse ministério sob Sua direção.

No dia quinze depois do primeiro Domingo, depois da Páscoa no Egito, Cristo se tornou o Rei de Israel no Sinai em Pentecoste quando Cristo e o povo entraram em uma aliança, como chamamos hoje de Antigo Testamento. Naquela Pentecoste, o povo perguntou a Moisés para ser tonar mediador entre aliança e Cristo concordou.

Como Moisés era o mediador do Antigo Testamento, Jesus Cristo se tornou o Mediador no Novo Testamento! A rebelião de Coré foi uma rebelião contra o Mediador da Aliança e é o equivalente de seguir qualquer homem que seja contrário ao Mediador do Novo Testamento. Jesus Cristo É o nosso Mediador e nós temos de segui-Lo e não algum homem ou organização contrário aos exemplos e instrução de Jesus Cristo.

A rebelião de Coré é frequentemente mudada para ensinar que o homem deve ser fiel a outro homem ou organização. Isto é um tremendo erro. As lições de Coré significa exatamente o contrário; significa que temos que Sempre ser fiel a Nosso Sacerdote e Mediador Jesus Cristo, não interessa o que qualquer homem ou organização fale.

Naquela primeira Pentecoste, Cristo se tornou Rei de Israel e a Teocracia de Israel foi estabelecida. Naquele dia, o Rei escreveu sobre a lei básica em duas tábuas de pedra para todo o povo.

Em Jeremias 31, sabemos que essa aliança foi um fracasso devido aos corações difíceis do povo como representados nas duas tábuas de pedra; Jeremias foi falado que haveria uma Nova Aliança que seria feita com o povo e a lei não seria escrita, não em pedra, mas nos corações deles.

Joel profetizou que o espírito de Deus desceria em toda carne depois do dia do Senhor; Joel 2:28 e Pedro explicou que seria esse espírito de Deus que desceu no povo em Atos 2 no dia de Pentecoste em 31 d.C. Paulo explicou em Hebreus que seria através do espírito de Deus que a lei seria escrita nos corações do povo na Nova Aliança, Novo Testamento.

Isto aconteceu na Festa de Pentecoste em 31.d.C mas desceu em poucas pessoas o que significa que a profecia de Joel ainda está para vir.

Pentecoste caiu no dia cinquenta depois que Jesus Cristo se tornou Sumo Sacerdote e Mediador para os “Chamados do Egito.” Naquele dia, Cristo se tornou Rei na nova teocracia de Israel. Ele se ascendeu ao Pai e se tornou nosso Sumo Sacerdote no dia da Oferta de Movimento no Domingo.

Pentecoste, que está perto de acontecer, Cristo irá colocar o espírito de Deus em toda carne, Joel 2:28, e o Reino de Deus será estabelecido; desta vez será sob toda a terra.

Os Anos de Jubileu

Como Pentecoste é o dia de Jubileu; o Jubileu de anos será o Jejum de Expiação. Como temos de contar as semanas de Sábados até alcançar os cinquenta dias, em Pentecoste, temos que contar os Sábados como anos até alcançar os cinquenta anos. Como nos cinquenta dias de Pentecoste, toda divida [pecados] será perdoada e essa nova aliança será estendida a todos aqueles que não têm sido qualificados a fazerem parte dos Primeiros-Frutos.

“Falou mais o SENHOR a Moisés no monte Sinai, dizendo:  Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao SENHOR. Seis anos semearás a tua terra, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos;  Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao SENHOR; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha.  O que nascer de si mesmo da tua sega, não colherás, e as uvas da tua separação não vindimarás; ano de descanso será para a terra.  Mas os frutos do sábado da terra vos serão por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu diarista, e ao estrangeiro que peregrina contigo;  E ao teu gado, e aos teus animais, que estão na tua terra, todo o seu produto será por mantimento.  Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos”, Levítico 25:1-8.

O Jejum de Expiação é também uma proclamação do ano de Jubileu. Você tem pensado do porque o ano de Jubileu não foi proclamado no começo do novo ano? É porque a Expiação acontece na colheita maior do Outono em vez de Pentecoste que a colheita acontece na primavera.

Ambos são dias de L I B E R D A D E  dos pecado e todos os tipos de cativeiros [transgressões], e o estabelecimento da liberdade e da restauração do povo a suas terras como foi dado a ele por Deus. Eles são ambos a respeito da remoção da opressão e a escrever a lei nos corações do povo. Em Pentecoste os Primeiros-Frutos terão as leis de Deus escrita em seus corações; e a colheita maior também terá as leis de Deus escrita em seus corações; e ninguém irá oprimir seu vizinho mais!

“Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra,  E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.  O ano qüinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das separações,  Porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo comereis”, Levítico 25:9-12.

Pentecoste é o Jubileu dos dias porque ele refere a colheita da primavera. O Jubileu dos anos descreve claramente que o dia de Expiação será no Outono e refere-se à colheita maior de Outono!

O que acontece com os Primeiros-Frutos em Pentecoste, acontece como a colheita maior de Expiação!

Por que o Pentecoste é  um Festa enquanto a Expiação é um Jejum? Isto é porque Israel já tinha viajado para fora do Egito –  como sendo os Primeiros-Frutos chamados desse mundo. Esta jornada de sair do Egito ainda não começou a acontecer com a colheita maior.

A colheita maior do Outono deve primeiro ser ressuscitada na Festa de Trombetas e depois eles devem ser levados ao ARREPENDIMENTO e da liberdade do pecado e do rei deus [satanás] do Egito deste mundo; do mesmo jeito que Israel foi libertado do deus rei do Egito.

Esclarecendo ainda melhor, uma cerimônia especial foi comandada para cada Jejum de Expiação.

“Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação.  E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário.  Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado.  Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o SENHOR, para fazer expiação com ele, a fim de enviá-lo ao deserto como bode emissário”, Levítico 16:7-10.

O bode no qual caiu a sorte do Senhor [o bode que representa o Senhor] era para ser oferecido como sendo uma oferta de pecado para o povo. Isto é simbólico da aplicação do sacrifício de Cristo para o povo. O bode emissário era para ser apresentado vivo ao Senhor [Sacerdote Rei da Teocracia] para ser julgado e depois removido para sempre.

Isto não é a respeito de remover satanás por somente mil anos; isso representa removendo ele para sempre. Nada está escrito aqui sobre mil anos; este bode é para ser largado no deserto para sempre; para nunca ser visto de novo; nunca para ter alguma coisa com homem de novo!

FELIZ DIA DE JEJUM DE EXPIAÇÃO!

Leave a comment