Archive for category Atitude Espiritual

Os frutos da carne e do Espírito, Parte Final

As bênçãos em obedecer a Deus

Os frutos da carne só vão lhe trazer tristeza e destruição. Talvez por um curto tempo possamos sentir bem fazendo esses frutos, mas com toda a certeza no final de tudo teremos somente tristeza, amargura, raiva, depressão que nos levará a nossa destruição.

Ao contrário se conduzirmos numa maneira do Espírito e pensarmos a fazer o bem ao próximo do que a nós mesmos, então teremos paz, felicidade, harmonia, mansidão e viveremos para sempre na família de Deus. Deu será nosso próprio Deus e nós seremos Seus filhos…

           “E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne;

Para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os cumpram; e eles me serão por povo, e eu lhes serei por Deus”, Ezequiel 11:19-20.

 Escolha a vida

           Temos visto claramente que há dois tipos de sentimentos: a carne e o Espírito. Eles são contrários em si. Vemos que a carne tem influencia satânica e que a carne é influência pelo fato de querer, receber, ou seja, tudo acontece para nós mesmos. Nós somos a atração central de tudo. O universo gira ao nosso redor. Este tipo de frutos não tem muita ou nenhuma consideração com o próximo.

Os frutos do Espírito são contrários ao da carne. Pensamos no próximo antes de nós mesmos. Os outros são mais importantes do que nós mesmos. Este é o Espírito de Deus que nos amou muito antes de nós o amarmos e mesmo assim nos enviou Seu único filho para nos dar salvação,Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro”, 1 João 4:19.

          Então sabendo que os sentimentos do Espírito é um sentimento que nos vai dar amor, paz, felicidade, harmonia, mansidão, etc, porque então não escolhemos esse sentimento em vez do outro. Escolhemos a vida como poucos têm escolhido desde o tempo de Adão…

           “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,…

           Amando ao Senhor teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; para que fiques na terra que o Senhor jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque, e a Jacó, que lhes havia de dar”, Deuteronômio 30:19-20.

           “… porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”, Josué 24:15.

Leave a comment

Os frutos da carne e do Espírito

          Estamos aqui nessa vida por milhares de anos e mesmo assim são pouquíssimos os que param para pensar e perguntar ‘Por que vivemos?’, ou até mesmo, ‘Existe Deus?’.

A realidade é muito simples. Vivemos por nós mesmos, ou seja, passamos a maioria do tempo pensando nas coisas que são boas para nós. Sempre procuramos coisas nessa vida para servir a nós mesmos. É tudo para nós, sobre nós, e somente para nós. Não há tempo para outra coisa.

A ideia de pensarmos em qualquer outra coisa como se existe um Deus são pensamos que passam rapidamente por nossas mentes talvez num momento religioso ou uma conversa rápida com amigos. Muitos de nós vamos para igrejas, seja qual for à denominação, mas quando saímos da igreja pouco é falado de um Deus na religião deles.

O padrão de vida que vivemos é criado por nós. Não gostamos muito quando outras pessoas tentam nos falar como devemos viver e agir e pensar. Há uma crença em nós mesmos que é muito forte. Acreditamos realmente que sabemos o que melhor para nós. Acreditamos fortemente que não precisamos procurar ninguém para nos ensinar o caminho do viver; o caminho que nos levaria a paz e a felicidade porque de acordo com a nossa crença em nós mesmos, nós sabemos qual caminho é esse.

Então aqui vivemos nesse mundo de acordo com as nossas próprias sabedorias da carne. Andando e mostrando ao próximo que somos melhores do que eles. O orgulho é bastante grande e a nossa arrogância de sabermos o que é melhor para nós e cega, falsa, e corrupta.

           Mas, por que somos assim? Por que pensamos dessa forma?

           O ser humano além de ter a influência satânica, “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência,” Efésios 2:2, temos essa natureza humana que nos impede de procurar o porquê das coisas. Essa natureza humana que nos dá essa ideia falsa que somos independentes e que temos a capacidade de escolher o bem e o mal; essa ideia falsa de que sabemos o que é melhor para nós; e essa ideia falsa de que não precisamos de nenhum Deus para nos dizer o que é melhor para nós. Desde o tempo de Adão temos vivido nessa arrogância e egoísmo e vaidade da carne.

 Natureza Humana e seus frutos – o fruto da destruição

           Sim temos uma natureza em nós. A Bíblia chama isso de natureza humana. A natureza humana é claro possui desejos humanos. Através dos sentidos da carne: audição, visão, olfato, paladar e tato, procuramos satisfazer a carne ou nossa natureza humana.

bebedeiraÉ claro, o perigo é escolher os sentidos que são contrários à felicidade, a paz e a harmonia. Esse sentido é o que a maioria de nos escolhemos. Procuramos na realidade coisas que nos faz mal, mas, entretanto, sentimos uma satisfação boa quando os fazemos. Paulo nos alerta disso,Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus”, 1 Coríntios 6:9-10.

          Paulo repete isso em outra carta, “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”, Gálatas 5:19-21.

          É com grande tristeza é claro que o ser humano em sua grande e total maioria tem escolhido esses frutos da carne. Esses frutos escritos aqui tão claramente por Paulo. Os frutos que tem trazidos várias guerras sanguinárias; bastantes guerras locais e regionais com também duas guerras mundiais com a terceira rapidamente se aproximando. Bastante sofrimento e absurdos abusos nós causamos uns aos outros na historia da humanidade. Tudo isso por causa dos prazeres que temos em destruir e conquistar e por nós mesmos em cima de tudo e todos. Um prazer que é carnal e que não leva de forma alguma a uma paz eterna e felicidade sem medida.

Nós como humanos vivemos no prazer de ganhar e não de Dar. De receber do próximo e não de dar ao próximo.

Mas, existe outro caminho!

Natureza Humana e seus frutos – o fruto da alegria

A Bíblia também fala de outros sentimos que infelizmente são pouco usados por nós. Outros sentimentos que damos a nossa carne que nos daria uma vida melhor de paz e felicidade não somente com nos mesmos, mas com o próximo também. A Bíblia chama esse fruto de fruto do Espírito…

          “Porque as o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”, Gálatas 5:22.feeding others

          “(Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade)”, Efésios 5:9.

1. Os frutos da carne são o mesmo dos frutos do Espírito?

Comentário: Não. Na realidade a Bíblia nos diz que eles são contrário um ao outro. Os dois frutos são duas maneiras completamente diferente de uma pessoa viver. Observe essa escritura,Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis”, Gálatas 5:17.

Agora, muitos escolhem e tem os dois frutos, carne e espírito. Mas eles são contrários a si mesmos. Podemos observar também que há intensidade deles. As pessoas têm níveis diferentes desses frutos. Por exemplo, uns tem bondade demais enquanto outros nem tanto. Uns tem inveja demais enquanto outros têm pouco. Mas, os frutos da carne e espírito entre si, são diferentes e contrários entre eles.

Leave a comment

“…se não vos arrependerdes…”, Lucas 13:3

Uma das atitudes mais importante do cristão verdadeiro é o arrependimento. Arrependimento é muitíssimo importante para ressalta a atitude do cristão de humildade e conversão. Ou seja, uma pessoa arrependida muda o jeito de ser e agir e falar. O arrependimento carrega a ação de agir, de mudar.

Note o que Cristo disse no início de Seu ministério. O que pregava João Batista? Qual foram as primeiras palavras que Cristo disso no início de Seu ministério? Note João Batista…

“E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”, Mateus 3:1-2. João Batista sempre focalizava suas instruções no arrependimento e Reino de Deus. Jesus, sendo Ele nosso Mestre, é claro, falou o mesmo…

“Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”, Mateus 4:17. Novamente a palavra arrependimento.

Nós como seres humanos sempre fazemos coisas que muitas vezes foram feitas através de raiva, falta de sabedoria e, muitas vezes, por que não dizer, por ignorância. É bem verdade também que muitas vezes a gente se arrepende das coisas que falamos e agimos. Às vezes não queremos nem pensar nas coisas que fizemos ou falamos. Simplesmente, às vezes é uma vergonha.

Deus respeita nosso arrependimento. Por que Ele que criou a gente, sabe que às vezes a gente se senti constrangido dessas atitudes. Ele nos instrui a perdoar os que se arrependem, “E, se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me; perdoa-lhe”, Lucas 17:4.

Deus pessoalmente ordena que as pessoas se arrependam, “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam”, Atos 17:30.

A razão disso é muito simples, nós erramos demais. Estão sempre pecando e fazendo e falando coisas que destroem a gente e os que estão ao nosso redor.  “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”, Romanos 3:23.

Note a atitude de Eli. Ele fez o que era errado e não se arrependeu, “Porque eu já lhe fiz saber que julgarei a sua casa para sempre, pela iniqüidade que ele bem conhecia, porque, fazendo-se os seus filhos execráveis, não os repreendeu”, 1 Samuel 3:13. Deus havia falado a Eli das atitudes de seus filhos e ele não se arrependeu. Ele não severamente repreendeu seus filhos e eles continuaram a fazer pecados terríveis contra o povo e Deus.

O arrependimento e mudança de atitude causa uma mudança positiva na mente e no coração. Você passará a ser uma pessoa humilde e não tão orgulhosa. Além de tudo seus pecados serão perdoados e seu relacionamento com deus crescerá com isso, “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos [mudai a maneira de ser e agir], para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor”, Atos 3:19.

Leave a comment

Dízimo, Parte II

Vimos até agora como dizimar numa sociedade de agricultura. Mas, como seria o dízimo aplicado hoje em dia onde a maioria da população não trabalha em agricultura. Temos estudado também que muitas pessoas têm dizimado excessivamente, dando muito mais do que as escrituras e Deus tem comandando. Lembra que Deus pede que dizimemos o INCREMENTO de nosso fruto de trabalho.

“Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá. Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim; esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe, E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus”, Mateus 15:3-6.

Jesus Cristo disse que  nossa primeira obrigação é com Deus, mas mesmo assim você tem a obrigação com seu vizinho e isso inclui suas obrigações pessoais para pagar suas dívidas, operar um carro em boa manutenção e especialmente cuidar da família que família que Deus lhe abençoou.

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”, Mateus 22:36-40.

Jesus disse que ter paz com os outros é MAIS IMPORTANTE do que qualquer presente que poderá dar a uma igreja, mesmo assim muitos dão uma quantidade enorme de presente e sentem-se justos e que ao mesmo tempo não se arrependem de ofender ou de ter receio amargura contra outros.

“Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta”, Mateus 5:23-24.

Nossa condição espiritual deve vir de Deus primeiro e não de nosso desejo de dinheiro! Temos que ter nossa prioridade espiritual em ordem para:

“Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento”, Mateus 9:13.

Não podemos comprar nosso caminho ao Reino de Deus como alguns podem pensar.

Sim, as escrituras fala que Deus adora o que dá em boa atitude, mais esse parte da escritura mostra somente um lado e não é balanceada pois só mostra a atitude de dar aos outros; frequentemente negligenciando o segundo grande mandamento que é providenciar para a nossa própria família.

“Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel”, 1 Timóteo 5:8.

Qual era o exemplo pessoal de Paulo? Ele se tornou um peso na igreja por causa de seus gastos excessivos? NÃO.

Será que isso implica que ele não aceitava dízimos? NÃO.

Tenha muito cuidado em não pegar as escrituras de Paulo e se generalizar por causa de uma situação individual. Ele claramente disse que seria um peso maior nas igrejas maiores para que seu peso seja menor nas igrejas menores.

“Outras igrejas despojei eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado. Porque os irmãos que vieram da macedônia supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei”, 2 Coríntios 11:8-9.

Paulo pegou dízimos e ofertas dos irmãos para apoiá-lo e as necessidades do evangelho, porque ele pregava que Jesus Cristo recebeu dízimos dos Levitas e do sacerdócio de Israel através de nosso pai Abraão; sendo assim mostrando que passamos do sacerdócio dos Levitas para o sacerdócio de Cristo! Incluindo o de receber os dízimos!

Agora, neste tempo não há mais sacerdócio, mesmo assim TODOS que estão sendo “chamados” estão EM TREINAMENTO para se tornarem sacerdócios e todos tem o direito de pegar dízimos para o povo! Os chamados também tem a obrigação de receber o dízimo de tudo que eles receberão de Jesus Cristo; no qual são Seus representantes.

Isto é o mesmo que Israel, onde os dízimos foram dados aos Levitas, que depois dizimaram no que eles receberam dando-os ao Sumo Sacerdote.

Como estudantes em treinamento, devemos praticar esse sistema.

“E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro”, Hebreus 7:5-10.

O livro todo de Hebreus mostra uma explicação das diferenças entre o Antigo e a Nova Aliança e como as mudanças ocorreram.

Cristo comandou a Seus discípulos que ensinem todo o homem a manter todos os mandamentos e serem batizados para o arrependimento, Mat 28. Ele também mandou outros durante Seu ministério para o nosso exemplo: Nós temos que ir e pegar o que está sendo oferecido para nós, onde formos recebidos e providenciados.

“Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos. Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho. E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós. E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa. E, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que vos for oferecido. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus”, Lucas 10:3-9.

Paulo responde os argumentos daqueles que questionam o dízimo. Note que ele claramente apela para a LEI e os direitos de um ministro e não implora por presentes e ofertas.

1 Cor 9:3- 16, “Esta é minha defesa para com os que me condenam. Não temos nós direito [autoridade ou direito]  de comer e beber? Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? Ou só eu e Barnabé não temos direito [o direito de dedicar nós mesmos ao evangelho tempo integral] de deixar de trabalhar? Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não se alimenta do leite do gado? Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo? Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais? Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo. Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho. Mas eu de nenhuma destas coisas usei, e não escrevi isto para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer, do que alguém fazer vã esta minha glória. Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!”

Será que o apóstolo Paulo fez outro tipo de trabalho? SIM ele fez! Mas, isso foi por causa de certas circunstâncias como também muitos ministros têm feito para sustentá-los também.

A questão a ser perguntada aqui não é se os ministros podem trabalhar se eles tiverem de fazer isso; a resposta é SIM! A pergunta real é se estamos fazendo nossas obrigações perante Deus.

Nós temos que dizimar de TODOS os nossos incrementos depois de tirar as dívidas necessárias que tivemos em nossos incrementos – deduzindo nossa moradia [aluguel ou mensalidade da casa], carro, etc.

Considere o que este método faz:

  • Ele alivia o pobre e necessitado e ajudam eles a preencher suas obrigações com suas famílias cumprindo a segunda Grande Lei. Isso reflete o amor verdadeiro de Deus e a misericórdia das viúvas e pobres.
  • Ele providência uma testemunha e exemplos; que os caminhos de Deus não é um caminho financeiro de escravidão, sofrimento e miséria. Uma igreja de Deus é conhecida pelo amor verdadeiro de Deus e também pelos seus irmãos! Realmente, se amamos Deus, devemos também amar nossas famílias e irmãos em OBRAS e NÃO somente em palavras ou emoções!
  • Esse método também mostra um caminho muito mais balanceado, no qual obedecemos AMBOS os dois Grandes Mandamentos.

O caminho de Deus não é pesado e ele não é um gênero de pobreza. Satanás tem atacado muitos e causado muito miséria, e nós temos contribuído com a nossa miséria em dar muito mais em nossos dízimos e ofertas.

Aqueles que são capazes podem dar mais ofertas; mas não dê mais do que pode!  

Leave a comment

Dízimo, Parte I

O sistema de dizimar foi um meio financeiro na época Mosaica. Esse mesmo tipo financeiro de dízimo será implantado no Reino de Deus.

Neste momento estamos em transição dos Reinos, mesmo assim aqueles que estão sendo chamados devem aprender sobre as leis do Reino que está chegando, PRATICANDO-AS! Devemos ter o hábito de obedecer às leis de Deus mesmo se somos imperfeitos neste mundo e estamos encarando tantos problemas por causa disso.

PRATICANDO os mandamentos de Deus nesta era tão difícil, aprendemos a ter SABEDORIA em como aplicar os mandamentos nas diversas circunstâncias. Deus está usando estas circunstâncias difíceis para TESTAR nossa fé e dedicação e para nos ensinar sabedoria aplicando as leis em espírito e carta.

É claro, nossas circunstâncias são diferentes do Israel antigo e diferente do reino que está chegando! É através dessas diferenças e tribulação presentes que aprendemos sabedoria, verdade e fidelidade; e como aplicar o espírito e carta da lei quando as situações parecerem difíceis e duvidosas.

O QUE É O ESPÍRITO E INTENÇÃO DO DÍZIMO?

  1. Para apoiar financeiramente a operação da igreja.

  2. Para lembrar o povo que a terra que vivemos Deus nos deu e que o povo deve agradecer a Deus por nos ter providenciado.

  3. Para ensinar a obedecer a todas as leis de Deus.

  4. Para dar ao povo a oportunidade de chegar perante a Deus e aprender o caminho de vida.

Ninguém questiona que isso era a lei de Israel no tempo de Moisés; é a aplicação dessa lei nos dias de hoje que muitos questionam.

Hoje, temos que manter os dízimos – AMBOS na carta como também no espírito.

Não, não somos nenhum povo agrícola como nossa própria terra nesse momento; mesmo assim tempo que seguir o espírito e intenção das leis de dízimos nos quais serão forçados no Reino de amanhã, SE vencermos. Antes de podermos ensinar outras pessoas, TEMOS que ter a prática dessa experiência.

Devemos PROVAR nossa obediência no espírito e intenção de todos os mandamentos de Deus, então assim Deus poderá SABER que somos confiáveis e obedientes em todas as coisas Dele e para toda a eternidade!

O REINO DE DEUS MOSAICO

Quando Israel entrou na terra prometida; todas as famílias receberam uma herança de terra para sempre.

O povo não tinha pagamentos de casas enormes; mesmo se eles tirassem um empréstimo, depois de um certo tempo, todas as dívidas seriam perdoadas e a terra seria entrega aos donos originais.

Era bastante entendido que a terra pertencia a Deus que deixava para eles tomar de conta; e que uma porção da produção da terra era para ser dada de volta para Deus para o uso dos sacerdotes de Deus que ministravam as coisas Dele e que não tinham nenhum tipo de heranças da terra.

As pessoas pagavam o dízimo aos sacerdotes para as necessidades deles e os sacerdotes pagavam o dízimo deles ao Sumo Sacerdote para as necessidades pessoais dele e para a OBRA daqueles dias – para os trabalhos dos muitos sacrifícios em relação à nação.

Hoje temos um novo Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, mas não temos sacerdotes.

Toda pessoa que está sendo chamada está sendo treinada para ser um sacerdote no Reino de Deus sob o Sumo Sacerdote que é Jesus Cristo!

Mas, todos nós estamos sendo treinados e não fomos ainda elegidos para fazer parte deste sacerdócio! Serão SOMENTE na ressureição e vinda do Reino que os escolhidos serão sacerdotes e reis.

Nesse momento, somos irmãos neste treinamento; com os idosos apoiando os mais jovens e todos nós a serviços do Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, e O Pai.

Este sistema de dízimo será instituído como um meio de financiar o Reino de Deus!

Nesse momento não estamos vivendo no Reino de Deus! Estamos vivendo no reino de Satanás; o mundo de Satanás!

Sim, devemos fazer o máximo nas maiores dificuldade e circunstâncias dessa vida e ao mesmo tempo temos de deixar um bom exemplo a nossos vizinhos e financiar àqueles que se entregaram aos serviços de Deus; entenda que vivemos num mundo muito diferente e que Satanás está fazendo de tudo para nos manter longe dos mandamentos de Deus, incluindo os dízimos.

PRINCÍPIO DO DÍZIMO

Dízimo tem que ser feito do nosso incremento. Isto significa que todas as despesas para ganhar o dinheiro tem que ser calculado antes de dizimar.

  1. Essas despesas incluem, mas não são limitados a transporte, que incluiria passe de ônibus, manutenção do carro, seguro e compra de um carro.

  2. Necessidade de roupa de trabalho e suas limpezas.

  3. Aluguel e mensalidade da casa. Tenha em mente que Israel não tinha de pagar aluguel porque eles eram donos da casa deles e eles trabalharam e dizimaram somente do incremento da produção deles; e os ministros modernos são capazes de deduzir o aluguel ou mensalidade de casa da taxa deles nos países como Estados Unidos e Canada, etc

O espírito e intenção da lei de dízimo são para dar o dízimo do todo o incremento e não somente da agricultura. Isto não seria justo de jeito nenhum para outros segmentos de trabalho – tipo um agricultor teria que dar um dízimo mas o trabalhador da cidade não daria. Não, Deus criou a lei do dízimo para todas as pessoas e todos os segmentos de trabalho.

A verdade é que toda prosperidade econômica vem de Deus; até mesmo as propriedades de terra são uma benção de Deus. Devemos dar um dízimo de todos os nossos incrementos em qualquer função de trabalho.

EXEMPLO: Se você ganha $2 mil reais por mês e paga $800 reais em aluguel e $300 reais para transporte ao trabalho; então seu custo é de $1100 reais por mês; você deve dizimar do incremento de $2.000 – $1.100 = $900. Seu dízimo de $900 reais seria $90 reais.

2 Comments

“O temor do SENHOR é o princípio do Conhecimento”

Vemos aqui claramente escrito em Provérbios 1:7 que para alguém obter conhecimento, essa pessoa tem que temer a Deus. Então, é claro, podemos deduzir que os que não temem a Deus, não tem conhecimento. A palavra “temor do SENHOR” é muito usada na Bíblia onde poderão achar mais de 350 indicações. Por toda a Bíblia vemos que temos que temer a Deus, mas o que realmente é isso?

Temer é mais do que ter medo de Deus. Ele não quer que seguimos Ele porque temos medo Dele. Ele quer que o adoramos porque fazemos as coisas que são agradáveis a Seus olhos. “E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada”, João 8:29. 

Está talvez seja uma razão do porque não temos centenas de linhas de mandamentos e leis que dizem o que devemos e não fazer; como por exemplo, você não deve cozinhar no Sábado. Mas, em vez disso Ele simplesmente fala, “Mantenha meu Sábado santo. Não faça no Sábado o que faz em outros dias”.

Deus não precisa ter em Sua família robores que sequem somente os comandos Dele. Sendo assim, as pessoas não estão com Deus porque querem mas porque são obrigadas a segui-Lo. Não é isso que Ele quer. Devemos segui-Lo e ter temor Dele, ou seja, respeitá-lo e desejar fazer todas as coisas que são do agrado Dele, sem um mandamento explícito ou não. Devemos seguir a Deus porque o desejo que temor é de ficar com Ele. Amamos tudo que é Dele e do Filho Dele. E amamos tudo o que faz, fala, age, pensa. Devemos ama-lo de toda nossa existência: alma, forças, coração e mente.

“E disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria…” Jó 28:28. Vemos aqui que o temor de Deus é a mesma coisa de Sabedoria. Aquele que tem sabedoria também tem temor de Deus.

Em Salmos 25:14 vemos que Deus mostra aos que temem Ele Seus planos para a humanidade, “O segredo do SENHOR é com aqueles que o temem; e ele lhes mostrará a sua aliança”.

O Senhor protege aquele que temem a Ele, “O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra”, Salmos 34:7.

Os olhos de Deus está sempre nos que temem a Ele, “Eis que os olhos do SENHOR estão sobre os que o temem”, Salmos 33:18.

Temer a Deus e mostrar para Ele que você o ama e quer fazer tudo que Ele quiser. Por exemplo, se você tem um filho e você fala para seu filho que não gostaria de vê-lo comendo tanta comida com açúcar. Você dá comanda ele para não comer só fala que gostaria que ele não comesse mais desse tipo de comida porque seria bom para a saúde dele. Quando seu filho encontra um amigo e esse lhe dá ou convida a comer comida de muito açúcar, seu filho assim recusa e disse que não fará. O amigo então pode até falar que o pai dele não lhe ordenou para não comer esse tipo de comida. Então ele simplesmente responderá que não comerá porque ele sabe que isso não seria do agrado de seu pai. Isso e temer uma pessoa. Você age pelo amor, carinho e respeito à pessoa.

É isso que Deus quer de nós.

Leave a comment

“Anda em minha presença e sê perfeito”

Versículo tirado de Gên 1:17, “…Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda em minha presença e sê perfeito”.

Como podemos andar perante o Senhor sem pecado? É isso possível? A Bíblia mesmo diz que pecamos em nossos próprios pensamentos. Como podemos então andar perante o nosso Senhor Deus e não ter preocupação de ter algum pecado?

Notamos na Bíblia que o nosso próprio coração não consegue ser bom, “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”, Jer 17:9. Não podemos nem mesmo confiar em nosso coração. Muitas vezes depois de várias analises, ainda tomamos decisões erradas. Isso é claro porque o coração é difícil de conhecer, ou corrupto.

O problema de cairmos tão facilmente em pecados e porque pensamos muito alto de nós mesmos. Achamos que somos bons e que somos fortes e que temos as forças para combater o pecado quando chegar. Então brincamos com situações que no final nos levará a pecar, “Porque em seus olhos se lisonjeia, até que a sua iniquidade se descubra ser detestável”, Sal 36:2. E adicionando com a falta de respeito com as leis e mandamentos de Deus, pecamos frequentemente, “… A transgressão do ímpio diz no íntimo do meu coração: Não há temor de Deus perante os seus olhos”, Sal 36:1.

Graças à misericórdia de Deus, Ele nos perdoa de nossos pecados, principalmente os que fazemos inocentemente, “Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano”, Salmos 32:2. Então nosso pecado só é perdoado se Ele nos perdoar devido a Sua misericórdia?

Mas, o nosso Deus amoroso nos mostrou uma saída, Jesus Cristo. A morte de Jesus pelos nossos pecados será para sempre. O sangue de Jesus limpa todos nossos pecados. Não interessam quais são ou de que maneira pecamos. Sempre, com o arrependimento, nossos pecados serão perdoados. Essa era a mensagem principal do evangelho, tanto de Jesus como dos apóstolos, “E, saindo eles, pregavam que se arrependessem”, Mar 6:12.

A Bíblia nos diz que haverá tempos que as pessoas se tornaram muito frias com Deus. Nesses tempos, as pessoas serão difíceis se arrependerem devido é claro a atitude da pessoa, “E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória”, Apoc 16:9.

Sim, podemos andar perante nosso Pai limpos e sem iniquidades porcausa do sangue de nosso Senhor Jesus que nos LIMPA quando nós realmente e sinceramente arrependemos.

SEJAMOS PERFEITOS

6 Comments